PEIXES DA PRAÇA JAPONESA MORREM ASFIXIADOS

Hoje pela manhã, enquanto a nossa doce primeira-dama – no Antena Ligada, o noticioso da Antena 102 – convocava a população ordeira de Jales para desfrutar de uma exposição sobre 2a. Guerra Mundial e as bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki, outra parte da imprensa era convocada para registrar o morticínio de peixes na recém-denominada “Praça Japonesa”, localizada bem em frente ao nosso Terminal Rodoviário.

Até a semana passada, conforme já foi registrado neste blog, a situação da praça – que ganhou motivos japoneses, inclusive um Buda, graças a uma idéia brilhante do secretário José Shimomura – era de abandono. O desleixo com a praça talvez fosse até uma estratégia da administração Parini para mostrar aos visitantes que chegavam de ônibus como eles encontrariam o resto da cidade.  Nesta semana, porém, quem sabe por conta da programação que a primeira-dama está preparando para homenagear a colônia japonesa, a praça passou por um processo de limpeza que há muito não via.

Infelizmente para os peixinhos, a limpeza chegou um pouco tarde. Cerca de quarenta deles, como esses das fotos, morreram nos últimos dias, em função, provavelmente, da sujeira acumulada na água. A matéria sobre a mortandade dos peixes  estará em A Tribuna, edição de domingo, assinada pelo repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca.

8 comentários

  • Por acaso, o nobre blogueiro saberia informar que destino foi dado as pedras retiradas da avenida Chico Jalles.Porque a pergunta? Me informaram que aquelas pedras tem um valor financeiro considerável.

  • o descaso é a pior das falhas...

    isso é de cortar o coração. poderia me revoltar, xingar prefeito, secretários etc, mas prefiro manifestar minha dor por esses peixes que não tiveram culpa de nada, e sim o azar de vir parar numa cidade abandonada sem prefeito, sem vereador como esta.

    vergonha!

  • A vereadora Tatinha fez essa mesma pergunta ao prefeito, há alguns meses. Foi-lhe respondido que as pedras estavamb sendo retiradas e armazenadas no almoxarifado municipal. Dias depois da resposta, fiquei sabendo que teria chegado à polícia uma denúncia – feita pelo ex-secretário Miranda – de que as pedras estavam sendo vendidas pela empresa que “obrou” na avenida. Fiquei sabendo também que acabaram jogando “panos quentes” no caso porque a pessoa que estava comprando, o estava fazendo de boa-fé, isto é, ela não sabia a origem das pedras. Foi o que ouvi dizer, ok?

  • “Obrou” foi ótimo!O que não pode acontecer é essas pedras ficarem no paço municipal.Já imaginou? Nem Cristo salva.

  • Paulo Reis Aruca

    E o Jacaré, einh?, que não queria ir embora. Deve estar aliviado ao receber a notícia do óbito de seus quase pares.

  • Le

    Nao faz muito tempo esta indo pegaR o buzao na rodoviaria,tinha um senhor com o seu filho jogando pao aos peixes, so ai fique sabendo q existia peixes la pq a agua á taoooooooooooooooo suja e escura impossivel qualquer peixe sobreviver ,mesmo assim eles foram guerreiros sobreviveram enquanto tiverem força,assim como a populacao jalesense q a muitos anos so se FOD… NA MAO DE TODOS ESSES POLITICOS..

  • Marcos Silveira

    Isso não é um caso para os órgãos competentes investigar as responsabilidades sobre esse “crime ambienta”? Esses peixinhos não pediram para ir morar lá na praça japonesa. Por que os colocaram lá?

  • Num sei di nada

    Ué? Não disseram que ele foi tranferido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *