POETAS E COMPOSITORES

Lembram-se da rua “Carlos Drumond de Andrade”, essa mesma aí da foto, que já foi tema para um post deste aprendiz de blogueiro? Pois bem, na primeira sessão ordinária da Câmara, prevista para a próxima segunda-feira, o vereador Luís Especiato vai estar apresentando uma indicação ao prefeito Humberto Parini, solicitando que aquela rua, localizada no Jardim Arapuã, seja devidamente recapeada.

Sabem o que significa isso? Significa que a rua “Carlos Drumond de Andrade” vai ser, finalmente, recapeada! O vereador Luís Especiato não dá ponto sem nó. Se ele está pedindo isso ao prefeito Parini, é porque já está tudo mais ou menos certo. E, para que não se diga que ele tem preferência por este ou aquele poeta, Especiato está pedindo também que seja recapeada a rua “Vinícius de Moraes”, igualmente no Jardim Arapuã.

Se não me falha a memória, essa idéia de homenagear nossos grandes poetas, compositores e escritores com nomes de rua, em Jales, foi do “seu” Chico Melfi, quando ele era assessor do ex-prefeito Caparroz. Assim, além dos dois poetas já citados, nós temos também a rua “Ataulfo Alves”, a travessa “Ary Barroso”, a rua “Dias Gomes” e por aí afora. De todos eles, o único que chegou a botar os pés em solo jalesense, foi o poetinha Vinícius de Moraes. Não me lembro exatamente o ano, mas foi no início dos anos setenta, quando ele, mais o Toquinho e a Marília Medaglia fizeram um show no Cine Jales. Além do Toquinho e da Marília, o Vinícius estava acompanhado também por uma de suas últimas esposas (oficialmente foram nove), a baiana Gessy. Quando morreu, uns nove anos depois de ter passado por Jales, Vinícius já estava casado com Gilda Mattoso, o último amor. Foi ela quem, na madrugada de 09 de julho de 1980, encontrou o poetinha caído na banheira, com dificuldades para respirar. Gilda e Toquinho ainda tentaram socorrer, mas Vinícius não resistiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *