PREFEITO TENTA ATRAPALHAR PROJETO DA ‘CIDADE JUDICIÁRIA’

Este aprendiz de blogueiro já escreveu por aqui que o prefeito Humberto Parini, além de pouco ajudar, quase atrapalhou a vinda do Hospital de Câncer para Jales. Digo isso com conhecimento de causa, pois acompanhei essa história desde o seu início e sei que a conquista do Hospital foi resultado da persistência de algumas pessoas que não faziam parte da administração municipal. Pois bem, agora o nosso premiado estadista parece que está empenhado em tentar atrapalhar o projeto da “Cidade Judiciária”, outro projeto que não é dele, mas da chamada sociedade organizada.

Na sexta-feira passada, da maneira açodada e autoritária que lhe é peculiar, o prefeito distribuiu à imprensa uma extensa nota onde, segundo ouvi dizer, anunciava a desistência do projeto, que, repito, não é dele. Confesso que não li a tal nota, uma vez que não consigo ler notas de esclarecimentos que tenham mais de vinte linhas. Soube, no entanto, que o estadista fez tudo isso sem consultar, ou ao menos avisar, aquelas pessoas que estão correndo atrás de transformar o projeto em realidade.

Resultado: ainda na sexta-feira, segundo ficamos sabendo hoje pelo Antena Ligada, o prefeito viu-se obrigado a proceder um recuo estratégico, depois de convidado para uma reunião no Fórum local. Pelo jeito, ficaram sem efeito a extensa nota à imprensa e a “ordem” para que a Câmara votasse os projetos de doação do Campo da Fepasa.

Talvez fosse o caso de o nosso prefeito – antes de tentar atrapalhar aqueles que estão tentando ajudá-lo – prestar um pouco mais de atenção aos versos de “Prelúdio”, do maluco Raul Seixas, magistralmente interpretados por Simone, Zé Ramalho e outros: “sonho que se sonha só, e só um sonho que se sonha só; sonho que se sonha junto, é realidade”.

O problema, ao que parece, é que o estadista, ultimamente, só consegue sonhar com liminares.

4 comentários

  • Anônimo

    Parabéns pelo brilhante texto Cardoso!

  • sou eu

    Cardoso,seria interessante fazer justiça e homenagear aqueles que ajudaram a trazer o Hospital para Jales,a maior conquista(tvz única) em muitos anos.Vc poderia nomeá-los no Blog.Foi um trabalho muito digno.

  • Em defesa da Amada Jales!!!

    Cardoso:

    Nestes dias andei conversando com vários amigos jalesenses que hoje não estão mais em Jales. Agora a internet agora nos propicia esses papos virtuais.

    Estávamos relembrando dos bons tempos de Jales. Dos tempos que Jales era centro de região de verdade!

    Só uma pitadinha das muitas coisas que relembramos.

    Tínhamos a faculdade de Jales que lotava a Avenida Francisco Jalles.

    O Roda Viva e o Sala Verde… bons bares.

    O basquete que competia com os melhores times do Brasil.

    Os dois clubes (Ipê e Jales Clube) que faziam ótimos carnavais. Lembramos do Jair Supercap Show e da canja do bar do Valdir.

    Tínhamos 2 frigoríficos que geravam muitos empregos em Jales.

    A rodoviária era movimentada. Gente indo e vindo a Jales.

    O teatro funcionava, sempre tinha espetáculos. Tínhamos o Edinei e a escola Elite de teatro.

    Tínhamos uma banda que era ótima!

    Nossa FACIP era tida como uma das melhores festas do Brasil.

    Nosso aeroporto recebia a Esquadrilha da Fumaça!

    A praça do Jacaré tinha jacaré e era bonita. A praça da igreja também era bonita e tinha fonte.

    As ruas eram bem recapeadas.

    Nossa uva era matéria nos canais de televisão.

    O comboio aos sábados era lotado.

    Como muita coisa mudou em Jales e no meu entender para pior!

    Precisamos voltar Jales no que era!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *