“REVITALIZAÇÃO”: COM SEIS MESES DE ATRASO, PARINI TENTA RESCINDIR CONTRATO COM EMPRESA

Ontem, durante a primeira sessão ordinária da Câmara Municipal, o assunto mais debatido foi, é claro, os buracos que infestam as ruas da cidade. Mas, apesar da enorme quantidade de buracos, ainda houve tempo para se falar também da chamada “revitalização” do centro. E um dos vereadores, não me lembro qual deles, informou que o prefeito Humberto Parini estaria tomando providências para rescindir o contrato firmado com a Construtora Miranda & Alves Ltda.

Só pode ser mais uma brincadeira da administração Parini. Desde o início das obras da “revitalização”, vereadores, imprensa, comerciantes e cidadãos comuns vêm alertando sobre a má qualidade dos serviços, sem que a Prefeitura tomasse nenhuma providência. Muito pelo contrário! A administração municipal, que deveria ter interrompido aquela porcaria logo no primeiro quarteirão, preferiu insistir teimosamente, como quem quisesse dizer que “aqui quem manda somos nós”.

Pouco afeito ao diálogo, o prefeito Parini, um ex-paladino da transparência, ainda tentou convencer a opinião pública de que o resultado final daquela “obra” seria uma maravilha, distribuindo “fotos” aos montes, via internet, enquanto a realidade demonstrava o contrário. E agora, depois que a empresa – a pedido do prefeito – chegou ao último quarteirão, lá vem ele – com, no mínimo, uns seis meses de atraso – dizer que está providenciando a rescisão do contrato. Curiosamente, Parini só está tomando essa atitude depois que a empresa, por falta de pagamento, decidiu paralisar os serviços.

Resumindo, a falta de atitude e a teimosia do senhor prefeito conseguiram a inédita proeza de causar prejuízos a todas as partes: aos comerciantes, aos contribuintes comuns, ao município e à empresa. Coisas que só acontecem em Jales.

1 comentário

  • Na minha opinião, os quarteirões da avenida fco jalles, entre as ruas 08 e 12 + os quarteirões da rua 10, entre as ruas 09 e 11, deveriam ser transformados em calçadões. Uma ideia que passou da hora de ser realizada. Maior comodidade as pessoas que compram no comércio.
    Quanto aos veículos, é plausível que os comerciantes estacionem um pouco distante de seus estabelecimentos.

    Quanto a essa obra chamada de ´´revitalização do centro de Jales´´, que custou mais de 300 mil, sem aproveitamento técnico. Muitos desníveis, tijolinhos soltos, poças d´agua se formam, enfim, SEM APROVEITAMENTOS TÉCNICOS!

    Juliano Matos
    Pres. PSOL Jales

    http://www.psolsp.org.br/jales

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *