TODOS CONTRA A DENGUE! TODOS?

DSC01607-ed

A Secretaria de Comunicação enviou release para a imprensa, falando sobre a preocupação da administração com o mosquito da dengue, que, neste período do ano, precisa ser combatido com mais rigor ainda.

É inegável que, nos últimos anos, os encarregados de combater o Aedes aegipty, em Jales, vem fazendo um bom trabalho, apesar das dificuldades que enfrentam, principalmente em virtude da falta de educação e de conscientização de parcela da população.

Mas, as ações de combate à dengue não podem ficar restritas ao trabalho da Secretaria de Saúde. É importante que haja o envolvimento de todos os setores da administração municipal, a fim de que através dos bons exemplos do poder público, a população possa, finalmente, se conscientizar de que o combate ao mosquito depende de todos. 

Nesta semana, uma leitora alertou este aprendiz de blogueiro para um mau exemplo do poder público. Como se pode ver na foto acima, parece que o governo Nice Mistilides resolveu transformar em depósito de pneus o barracão construído nos tempos do Parini, nas proximidades da Facip.

Como a atenta leitora argumentou, o barracão, apesar de coberto, não impede que as chuvas alcancem os pneus. O que pode, evidentemente, transformar o local em um grande criadouro do Aedes. Com a palavra, os responsáveis. E, abaixo, o release da Secretaria de Comunicação: 

Com a chegada do verão, cresce a preocupação com a dengue e febre do Chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. A proliferação do mosquito aumenta nesta época do ano que é marcada pelas altas temperaturas e a volta das chuvas, por isso a secretaria de Saúde, através da Vigilância Epidemiológica tem intensificado as ações para a prevenção e combate das doenças.

Em Jales, as equipes municipais de combate às endemias e a SUCEN seguem com o trabalho de prevenção permanente, reforçando as visitas aos domicílios e as campanhas de conscientização, mas o apoio da população é fundamental para eliminação de possíveis criadouros e evitar a difusão da doença.

“Apesar de a transmissão não estar intensa, a preocupação existe pelo grande número de amostras de larvas que os agentes estão encontrando em suas visitas. Este mês estamos realizando a atividade que avalia o índice larvário do Aedes Aegytpi no município e pela quantidade de larvas que estão sendo encontradas, tudo indica que o índice será alto”, comentou a Vanessa Luzia da Silva, responsável pela divulgação do combate à dengue na cidade.

“A maior parte dos depósitos predominantes da larva do mosquito transmissor estão concentrados nas residências, principalmente em caixas d’água. O que pedimos para as pessoas é que se habituem e não descuidem para toda semana checarem ralos, potes, vasos de plantas, calhas, pneus, garrafas, bandejas de geladeiras e lonas que cobrem recipientes. Após cada chuva é preciso verificar os quintais, deixar as piscinas não utilizadas bem vedadas e mantenha o lixo ensacado até o momento da coleta. Qualquer mínimo vestígio de água pode se tornar um criadouro do mosquito”, enfatizou Vanessa.

Neste ano nenhum caso de dengue foi confirmado no município. Em 2014 foram contabilizados 472 casos da doença.

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *