A TRIBUNA: CONSELHEIRA REBATE AFIRMAÇÃO DE TIQUINHO SOBRE SUPOSTA ATUAÇÃO POLÍTICA DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal destaque é um relatório preparado pela Secretaria Municipal de Educação sobre os efeitos que algumas mudanças na grade curricular da rede estadual de ensino irão causar às finanças municipais. Uma das mudanças é a implantação do programa Inova, que vai aumentar o período de permanência dos alunos nas escolas estaduais em uma hora por dia, o que irá aumentar o consumo de merenda. Segundo o relatório, os gastos com a merenda escolar poderão aumentar quase R$ 1 milhão. O relatório diz, ainda, que as mudanças causarão grandes transtornos no transporte escolar e poderão obrigar a Prefeitura a ter que contratar mais motoristas de ônibus.

Matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, lembra que, quatro meses depois do incêndio que devastou metade do Bosque Municipal “Aristóphano Brasileiro de Souza”, a recuperação do local ainda não é visível para quem passa pela Avenida “Paulo Marcondes”. Os trabalhos iniciados pela Prefeitura em dezembro andam a passos muito lentos. De outro lado, o inquérito que apura a autoria do incêndio ainda não foi concluído. Diversas testemunhas foram ouvidas, mas apenas uma delas declarou ter visto um homem saindo do local, sem no entanto, conseguir dar a descrição do indivíduo.

A revitalização ambiental do Distrito Industrial I; a intensificação do combate à dengue, que, em 2019, teve um crescimento de mais de 5.000% no número de casos confirmados; a declaração do presidente da Câmara, Tiquinho, que, em coletiva de imprensa, afirmou que o prefeito Flá não cumpriu compromisso de comprar ambulâncias; e a movimentação do deputado Itamar Borges, que, buscando mais eleitores, está trocando seu domicílio eleitoral de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto, são outros assuntos de A Tribuna

Na coluna Enfoque, destaque para o firme posicionamento da conselheira Adriana Dal Acqua Plates durante a reunião do Conselho Municipal de Saúde, realizada na quinta-feira, 16. Ela rebateu afirmação do vereador Tiquinho sobre uma suposta atuação política do Conselho e não concordou com a proposta de retirada da nota de repúdio endereçada à Câmara. Na página de opinião, artigo do procurador da República em Jales, José Rubens Plates, com reflexões sobre o futuro da cidade. E no caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para a formatura da jovem Maria Eduarda Colombo.

8 comentários

  • A cara reforma da câmara

    Embora os vereadores cometeram um erro em destinar por volta de R$ 267 mil reais na reforma do seu prédio. Acho um valor muito alto para uma reforma. Esquecendo de outras prioridades. Principalmente, a aquisição de ambulância, como sugeriu o Martini. Pois deveria dividir esse valor.
    Posteriormente, os vereadores quiseram corrigir o erro, na transferência de responsabilidade para o prefeito. Ficou pior ainda.
    A atuação do conselho surpreendeu a todos e principalmente aos vereadores pois esse conselho é um pouco atuante. Principalmente nos últimos casos da Erica e prédio detonado do UPA. Não sabemos o que eles fizeram.
    Criticar os vereadores seria uma atuação politica? Todos sabemos que o Martini é petista!

    • CIDADÃO DO MUNICIPIO

      Tem que reformar mesmo vai deixar cair ou interditar dou maior rapoio, é melhor remediar do que medicar
      Obs; só para deixar claro Saúde entre outros é dever do Estado em quando falo Estado são todas as esferas

    • Eleitor do Deley

      Cadê a moção de repúdio deste conselho no caso da Érica??? Ou no caso da dengue??? Muito estranho! Vamos aguardar os próximos capítulos! Será que Vamos ter mais moções quando o bixo pegar na saúde?

      • Pois é...

        Colega, o caso Érica surgiu em 2019, na gestão anterior do Conselho. Este Conselho é 2020/2021. Já o vereador Tiquinho fazia parte desta gestão anterior 2018/2019. Pode cobrar ele!

  • Então

    Se a verba é destinada à câmara municipal, tudo legalizado, os nobres edis tem que gasta-las onde quiserem não está dentro da lei ?.
    Os mesmos não tem que dar satisfação a ninguém, não estão agindo dentro da lei ?.
    ENTÃO…………

    • Jalesense

      “podem gastar do jeito que quiserem” Prezado, podem gastar onde a população necessitar, pois o dinheiro não é deles, é do povo! Os vereadores não reconhecem as verdadeiras necessidades do povo…

      • Então

        Acho que o senhor não entendeu, eu disse DENTRO DA LEI, fui claro…..
        Tem câmaras da região, do estado, do país, que só vão em “SIMPÓSIOS ” onde só tem PRAIAS, porque será ?.
        Nossa câmara por VÁRIAS legislaturas foi exemplo para o BRASIL.
        Tem câmaras aqui na nossa região com 1.200 habitantes, e possuem 11 vereadores, eu disse ONZE VEREADORES (faça uma pesquisa), JALES hoje tem em torno de 48 mil habitantes, com DEZ vereadores.
        Amigo, perca um tempinho (tem portal específico para isso), verifique quanto ganha os prefeitos, vereadores da nossa região.

  • Anônimo

    Veja aí:

    Após a matéria de capa do Jornal A Tribuna, a Prefeitura iniciou as obras no bosque

    https://jales.sp.gov.br/2020/01/23/prefeitura-inicia-plantio-de-mudas-no-bosque-municipal/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *