A TRIBUNA: DEFESA DIZ QUE ACUSAÇÕES CONTRA EX-DIRETOR DO HOSPITAL DE CÂNCER FORAM ‘CIRCO MIDIÁTICO’

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete anuncia que Jales poderá ficar sem o repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), por falta de prestação de contas dos gastos efetuados em 2018 na área da Saúde. De acordo com a matéria do repórter Alexandre Ribeiro, o Carioca, a Prefeitura de Jales tem até o próximo dia 30 de janeiro, quando se encerra o exercício financeiro do ano anterior, para prestar contas, sob pena de, caso não o faça, ficar sem receber o FPM. O detalhe, segundo a matéria, é a prestação de contas deveria ser bimestral, sendo que os gastos do 1º bimestre, por exemplo, deveriam ter sido informados até o dia 30 de março do ano passado, mas, até a quinta-feira, 24, não havia sido registrada nenhuma informação a respeito dos seis bimestres de 2018.

Destaque, igualmente, para a Resolução do governo Dória que cancelou o convênio que previa o repasse de recursos no valor R$ 595 mil para Jales, por conta do programa Municípios de Interesse Turístico (MIT). O cancelamento atingiu outros 150 convênios em todo o Estado de São Paulo e a expectativa do prefeito Flá Prandi é de que a medida seja temporária. Segundo o jornal, os critérios para o cancelamento dos convênios não ficaram muito claros, uma vez que os convênios com outros municípios da região – Santa Fé do Sul, Ilha Solteira, Pereira Barreto e Rubinéia – foram mantidos pelo governo.

O acordo entre Sindicato e Prefeitura que prevê um reajuste salarial de 5,5% para os servidores municipais de Jales; a determinação da Justiça que mandou a Prefeitura de Jales indenizar um casal que teve a construção de sua casa paralisada pelo município; a repaginação da Praça “Euphly Jalles”, que deverá consumir R$ 1,2 milhão, metade dos quais na reforma da fonte luminosa; as alegações da defesa do ex-diretor do Hospital de Câncer, Roger Dib, que classifica as acusações contra ele como “circo midiático”; o cancelamento da Ficcap 2019, por conta de recomendação do Ministério Público de Santa Fé do Sul; e a geração de empregos em Jales e na região, nos 12 meses de 2018, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, destaque para a resposta do prefeito Flá Prandi às críticas sistemáticas do vereador Tiago Abra. Para o prefeito, Abra fez muito pouco em seus dois mandatos e joga para a torcida, pensando nas eleições de 2020. Na página de opinião, a volta do talentoso articulista Marco Antônio Poletto, que escreve artigo inspirado em frase da poetisa Adélia Prado. O blogueiro Hélio Consolaro escreve sobre os desafios do novo ministro da Educação, o colombiano olavista Vélez Rodrigues. No caderno social, destaque para a inauguração do Baruka Pub Beer, na Rua 12, e para a coluna do Douglas Zílio. 

4 comentários

  • Uaiii

    Parabéns aos que votaram nesse Doria….um puto….sem escrúpulos….

  • Corrupissaum

    Certinho João Doria, Jales não tem rio, prainha e nem indústria
    Corretíssimo senhor governador.
    Cadê a câmara para abrir o impeachment do prefeito?

  • jumento que votou em bozonaro

    essa reforma da praça, ja estou cansado de ouvir e ler ,mas nunca acontece. chama a nice que funciona

  • Anonimo

    Alguém pode postar aqui o currículo do nosso vice prefeito Garça, quais cargos políticos já ocupou.

    Pois em declaração ao Alexandre Ribeiro, no caderno A7 constou:

    “Não sei lidar muito bem com a burocracia da máquina pública …. (…)”

    Não estou convicto dos mandatos que ocupou, mas me parece ser extenso.
    Já era para estar habituado com a vida política e seus trâmites.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *