A TRIBUNA: JALES TEM 40 NOVOS LOTEAMENTOS E QUATRO DELES SÃO CONDOMÍNIOS FECHADOS

No jornal A Tribuna deste final de semana, a principal manchete está acompanhada da icônica foto que mostra os quase 800 quilos de entorpecentes encontrados em um Fiat Uno que trafegava pela rodovia Euclides da Cunha, entre Jales e Estrela D’Oeste. A apreensão foi efetuada pela Polícia Rodoviária Estadual de Jales, que prendeu o motorista quando ele tentava escapar da fiscalização fugindo a pé, depois de abandonar o carro com sua preciosa carga. À polícia, ele confessou que faturaria R$ 10 mil para fazer o transporte da mercadoria de Ilha Solteira, onde apanhou a droga, até Barretos.

Destaque, igualmente, para matéria sobre o setor imobiliário que, em Jales, parece viver um bom momento. Segundo o secretário de Planejamento, Niltinho Suetugo, sua pasta está analisando a criação de pelo menos 40 novos empreendimentos imobiliários em Jales, que poderão proporcionar mais de cinco mil lotes para construção de moradias. A matéria diz que são loteamentos dos mais variados padrões, tamanhos e preços, destinados às diversas camadas sociais. Pelo menos quatro dos novos loteamentos são do tipo “condomínio fechado”, um deles ao lado do Jales Clube e outro no antigo terreno do Clube dos Médicos.

Os prejuízos da Prefeitura com a administração do Terminal Rodoviário; o afastamento da prefeita de Turmalina, Fernanda Massoni, e seu vice, por compra de votos; a apresentação da 1ª etapa da revitalização do bosque municipal; a operação deflagrada pela Polícia Federal de Jales contra a pornografia infantil; o desmentido da Prefeitura a respeito dos boatos sobre a instalação de radares nos semáforos; a décima-quarta multa aplicada pelo TCE ao ex-prefeito Humberto Parini; e a criação de uma Ouvidoria na Câmara Municipal de Jales, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, informações sobre o arquivamento de um inquérito aberto pelo MP para investigar a “invasão” de um terreno da Prefeitura onde deveria haver uma rua. Na página de opinião, o blogueiro Hélio Consolaro constata a inexistência de “cemitérios de livros”, enquanto a crônica da Taísa Selis diz que “as redes sociais são como uma vitrine para olhares entediados e mentes propícias ao ócio”. No caderno social, destaque para a coluna do Douglas Zílio e para o coquetel do 8º aniversário da Clínica Corpelli. 

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *