A TRIBUNA: NOVA REGRA ELEITORAL QUE PROÍBE COLIGAÇÕES VAI TIRAR ALGUNS PARTIDOS DA DISPUTA PARA VEREADOR EM JALES

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal destaque é a movimentação política provocada pelas novas regras eleitorais. Uma das novidades da nova legislação – o fim das coligações entre partidos para a disputa das vagas de vereadores – deverá deixar de fora das disputas alguns partidos tradicionais, como o PTB da  ex-prefeita Nice Mistilides e o PPS, que, na eleição de 2016, elegeu o vereador Deley. Outra consequência das novas regras é o troca-troca de partidos: muitos dos que pretendem se candidatar a vereador estão indo para os partidos que, com certeza, estarão concorrendo com uma chapa completa de candidatos a vereador. Os atuais vereadores só poderão mudar de partido durante a “janela partidária”, de 04 de março a 04 de abril.

Ainda na seara política, o jornal traz matéria sobre alguns ex-vereadores que pretendem voltar à Câmara de Jales em 2021. Rivelino Rodrigues, que não disputou as duas últimas eleições, é um deles. Terá a concorrência de seu sobrinho Rivail Rodrigues Júnior(PRB), que também tentará uma volta. Gilbertão, que chegou a transferir seu título para Aparecida do Taboado, é outro que estará nas urnas eletrônicas, assim como Jediel Zacarias, Clóvis Viola(MDB), Jesus Martins Batista(PP) e Pérola Cardoso(PSDB). Rivelino, Gilbertão e Jediel ainda não definiram por qual partido se candidatarão.

O que a serventuária do Cartório do Garça, a Nicinha, que faturou o prêmio de R$ 1 milhão do Saúde Cap, pretende fazer com o dinheiro; as estatística do Cartório do Registro Civil de Jales, com os casamentos, nascimentos e falecimentos ocorridos em 2019; o resumo das prisões e apreensões realizadas pela Polícia Militar em dezembro; o temporal que voltou a alagar algumas ruas e avenidas de Jales; o novo dirigente regional de ensino, que assumiu o cargo na quarta-feira, 08; e as críticas do Conselho Municipal de Saúde às reformas do prédio da Câmara, que custarão R$ 263,6 mil, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que – segundo fontes ligadas ao prefeito Flá Prandi e ao seu provável adversário, Luiz Henrique Moreira – o ex-vereador Rivelino Rodrigues vem apresentando boa performance nos levantamentos feitos pelos dois lados para medir o humor dos eleitores jalesenses. Rivelino, que está sem partido, poderá aparecer como vice em uma das chapas concorrentes. Na página de opinião, o blogueiro Hélio Consolaro escreve sobre os nomes que os pais estão escolhendo para batizar seus filhos. E no caderno social, destaque para a inauguração da loja de conveniência do Posto Alvorada e para a coluna do Douglas Zílio.

5 comentários

  • MACETÃO DO BOSQUE

    Estamos ruins pra candidatos a vereadores, hein!!!

  • Rivelino é honesto

    Eu sou eleitor do Rivelino Rodrigues, seja pra vereador ou vice em alguma chapa.

  • MOTOQUEIRO FANTASMA

    A PM divulga resultados de seus trabalhos tudo bem parabéns, só que aqueles noias com som alto nos carros e PRINCIPALMENTE AS MOTOS COM ESCAPAMENTO ADULTERADO não tem nada que acabe com isso eu acho que no caso dos escapamentos deveriam ter um lacre igual a placa pois quando fosse abordado um noia com escapamento zuado aprenderia a moto ate regularizar SRS AUTORIDADES POR FAVOR INTENSIFIQUEM E ABORDEM ESSES NOIAS DE ESCAPAMENTO ZUADOS E ATUEM ESSES PORRAS OBRIGADO E BOM TRAALHO

  • Melhorou um pouco. Vamos ver o resultado

    As novas regras eleitorais foram criadas a muito tempo. Não é novidade! Foram feitas para diminuir o balcão de negócios, nos partidos. São mais de 35 partidos. Uma vergonha. Todos sabem que partidos são empresas de negócios com o dinheiro do contribuinte.
    Graças a Deus, vamos diminuir o numero de partidos com um troca troca dos partidos. O Congresso impediu que legendas sem nomes fortes na urna peguem “carona” em puxadores de voto de outros partidos, em prática que ficou conhecida como “efeito Tiririca.
    Já a cláusula de barreira, em vigor desde o ano passado, estabelece um desempenho eleitoral mínimo para que políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *