A TRIBUNA: REFORMA ADMINISTRATIVA DE LUÍS HENRIQUE FALA EM ECONOMIZAR R$ 132,5 MIL EM TRÊS ANOS

Os jornais impressos estão voltando a circular neste final de semana, depois de duas semanas de folga. No jornal A Tribuna, destaque para o projeto de lei que o prefeito Luís Henrique Moreira enviou à Câmara, versando sobre a chamada “reestrutura administrativa”. Segundo a matéria, a reforma administrativa da estrutura organizacional do município, proposta pelo prefeito, “vai economizar R$ 132,5 mil dos custos com a folha de pagamento nos próximos três anos”. A matéria diz, ainda, que a economia virá da extinção de 27 cargos comissionados e da redução dos salários dos cargos que foram mantidos.

O jornal está destacando, também, o protesto batizado de “Tratoraço”, realizado na manhã de quinta-feira, 07, por produtores rurais da região. Eles protestaram contra a aprovação de um projeto do governador João Dória, que iria pôr fim à isenção de 4,14% sobre o ICMS dos produtos agrícolas, o que, ao final, significaria um aumento nos preços dos alimentos. Os protestos também tiveram como alvos os deputados estaduais Analice Fernandes, Carlão Pignatari, ambos do PSDB, e Itamar Borges, do MDB, que foram favoráveis ao fim da isenção. Um dia antes do protesto, na quarta-feira, 06, o governador João Dória – provavelmente por conta da repercussão negativa – já tinha recuado nas mudanças no ICMS.

A primeira reunião do novo prefeito, Luís Henrique, para apresentação do seu secretariado; a confirmação, pelo TJ-SP, da condenação do ex-prefeito de Dolcinópolis, José Luiz Inácio Azevedo, por improbidade administrativa; a manutenção de Jales e região na fase amarela do Plano SP de prevenção ao coronavírus; a escolha, por aclamação, do prefeito de Jales para a presidência de dois consórcios regionais, o Consirj e o Coreca; a campanha de doação de leite promovida pela Escola Municipal “Alberto Gandur”, em benefício do Lar dos Velhinhos; e os números do coronavírus em Jales, que já contabilizam 86 óbitos, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, escrita por este aprendiz de blogueiro, informação dando conta de que a festejada reforma administrativa proposta pelo prefeito Luís Henrique não deverá proporcionar nenhuma redução na folha de pagamento da Prefeitura e, ao contrário, poderá elevar os gastos com os cargos de confiança. Não obstante a diminuição de alguns salários prevista no projeto, os gastos poderão aumentar caso o prefeito resolva preencher todos os 40 cargos de confiança à sua disposição, uma vez que na administração anterior – do ex-prefeito Flá Prandi – apenas 21 desses cargos foram preenchidos. Com Flá, os cargos de confiança custavam cerca de R$ 1,8 milhão/ano. Com Luís Henrique, eles poderão custar até R$ 2,2 milhões/ano.   

14 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *