A TRIBUNA: TIAGO ABRA VAI AO MINISTÉRIO PÚBLICO PARA DIMINUIR SALÁRIOS DE ASSESSORES DE FLÁ

No jornal A Tribuna deste final de semana, destaque para a situação do Museu Histórico de Jales, que há oito anos se encontra fechado à visitação das pessoas. Em 2011, a ex-primeira-dama Rosângela Parini decidiu esvaziar o Museu – localizado no Espaço Cultural “José Carlos Guisso” – e realizar no local a exposição “Hiroshima e Nagasaki, Um Agosto Para Nunca Esquecer!”, que lembrava os horrores da Segunda Guerra Mundial e da bomba atômica. Depois da exposição, o Museu nunca mais foi reaberto. Peças, documentos históricos, fotos, etc, estão todos amontoados nos cantos do prédio, misturados com móveis, equipamentos e sucatas.

Destaque, também, para mais uma representação do vereador Tiago Abra levada ao Ministério Público, na qual ele aponta irregularidades nos salários que estão sendo pagos aos chefes de gabinete das secretarias municipais Segundo Abra, os salários dos chefes de gabinetes estariam cerca de R$ 1,1 mil acima do limite estabelecido por uma lei municipal aprovada em 2015. A lei estabelece que os salários dos chefes de gabinete não podem ultrapassar o limite de 70% dos salários recebidos pelos secretários. A denúncia de Abra diz, ainda, que a Prefeitura continua pagando o salário de chefe de gabinete a um servidor afastado do cargo por conta da operação “Farra no Tesouro 2”.

O caso do comerciante de Jales, que foi preso sob a suspeita de estar furtando energia elétrica através de um “gato”; a implantação da Pastoral do Adolescente, pela Diocese de Jales; a decisão da Vara da Justiça Federal de Jales, que determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito de Estrela D’Oeste, Pedro Itiro Koyanagi; a condenação da Prefeitura, que terá de indenizar um motociclista que caiu em um buraco da “Paulo Marcondes”; e a comovente história do senhor Walter da Gaita, músico e paciente do Hospital de Amor, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, a informação de que a Prefeitura está abrindo uma sindicância interna (mais uma!) para apurar responsabilidades pela contratação, em 2010, da empresa Demop Ltda – aquela da Máfia do Asfalto – mediante uma licitação supostamente irregular. Na página de opinião, destaque para o artigo do doutor Valmir Bolan e a crônica do blogueiro Hélio Consolaro. E no caderno social, os destaques são a disputada coluna do Douglas Zílio e o 4º Chá do Manancial Feminino da Catedral da Família de Jales.     

6 comentários

  • Eu

    Essa prefeitura é uma bagunça pior que ZBM.
    Na ZBM existe gerencia!!!

  • JOSUE

    ouvi toda conversa ou entrevista na antena ligada do Thiago Abra,se realmente for verdadeira suas denúncias,vai pesar bastante para atual administração,afinal todos nos pensávamos que a farra teria acabado,enquanto critérios,posicionamentos politicos não forem mudados esses fatos surgiram,e causaram indignação,precisamos respeitar as leis vigentes e orgânicas do município,até qdo seremos testemunhas desse tipo de coisas,DEUS ABENÇOE JALES.

  • Prefeito Garotinho

    Se for verdade que o servidor que foi afastado pela justiça continua a receber o salário de chefe de gabinete, então o prefeito tem mais coisas a explicar do que se pensa. Depois de manter a Érica no cargo,ele insistiu em pagar salários de comissionado a um funcionário de confiança que não pode ir na prefeitura????
    Com a palavra,a Justiça.

  • Se isso for verdade , ao invés de prender quem faz gato de energia tem que prender o prefeito, improbidade administrativa . Se é que isso ainda é crime em Jales.

  • Fofoca das cidades

    O que é do poder executivo está guardado! A justiça saberá agir na hora certa, eu confio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *