A TRIBUNA: VEREADORES QUESTIONAM PREFEITURA SOBRE GASTOS COM TERCEIRIZAÇÃO DO TRANSPORTE DE PACIENTES

No jornal A Tribuna deste final de semana, o principal assunto são os recursos financeiros recebidos pelo município para ajudar no combate ao coronavírus. A matéria diz que foi publicada no Diário Oficial da União do dia 1º de julho, a portaria nº 1.666, do Ministério da Saúde, que libera mais R$ 2,5 milhões para o município de Jales. A quantia se soma aos R$ 711,2 mil liberados em 09 de junho e o montante deverá ser aplicado integralmente em ações de combate à pandemia do novo coronavírus. Nivael disse, ainda, que até a quinta-feira o dinheiro ainda não tinha caído nas contas da Prefeitura.

Outra matéria relata que dezenas de moradores do conjunto habitacional “Honório Amadeu” estiveram na Câmara Municipal, na segunda-feira, 06, para protestar contra o cancelamento da chamada “CEI das Casinhas”, que seria criada para investigar supostas irregularidades na construção das 99 casas do conjunto. A CEI foi inviabilizada depois que o vereador Tiago Abra retirou sua assinatura do requerimento que pedia a investigação. O vereador justificou sua mudança de posição afirmando que o Ministério Público já tinha aberto uma investigação, não havendo, na opinião dele, necessidade de a Câmara também iniciar uma apuração. As justificativas do vereador foram contestadas por moradores, nas redes sociais.

O início da validade do “orçamento impositivo” em Jales, que permitirá aos vereadores indicar, a partir de 2021, emendas parlamentares de até R$ 150 mil, cada um; os números das barreiras sanitárias realizadas pela Secretaria de Saúda na semana passada; a campanha “Julho Amarelo”, que está sendo realizada pelo SAE/CTA de Jales, visando a prevenção às hepatites virais; o pedido de prorrogação do inquérito que investiga o incêndio ocorrido no Bosque Municipal em setembro de 2019; e os questionamentos dos vereadores Macetão e Tupete sobre os gastos da Prefeitura com a terceirização do transporte de pacientes para hospitais da região, são outros assuntos de A Tribuna.

Na coluna Enfoque, o principal assunto também é a novela envolvendo as moradias do conjunto “Honório Amadeu”. A coluna esclarece que os vereadores da legislatura 2009-2012 foram praticamente obrigados a aprovar – às pressas, em outubro de 2012 – o terreno que já havia sido escolhido pelo prefeito Parini um ano antes e aprovado pela Cetesb, pelo Graprohab, e pela própria CDHU. A coluna fala, também, sobre a licitação para construção das casas, que rendeu um multa ao ex-prefeito Parini. Na página de opinião, três interessantes artigos de autoria do advogado João Eduardo Carvalho, do blogueiro Hélio Consolaro, e do doutor Valmor Bolan. 

12 comentários

  • Tudo começou com Parini

    A maioria das obras iniciadas pelo Parini, como : as obras do UPA, as 99 casas e a escola no terreno do Ypê (nem começou a obra). Tiveram problemas! Que eu me lembro.
    Neste caso das 99 casas, o TCE concluiu, em 2015, que a licitação aberta pelo Parini, em 2012, para a construção das casas foi prejudicada pela “falta de competitividade”.
    Tudo porque a Prefeitura publicou o aviso de abertura “apenas” no Diário Oficial da União, no Diário Oficial do Estado e em outros dois jornais. Segundo o conselheiro, a municipalidade deveria ter publicado o aviso também em um jornal com tiragem superior a 20 mil exemplares diários.
    Conclusão : obras paralisadas, casas correndo risco de desabamento, empresa e Prefeitura no prejuízo, funcionários preocupados com o fantasma do desemprego, etc.
    Será que o Parini fez esquema com o dono da empreiteira??? Quem é o dono da empreiteira?

    • Tonho da lua

      Os donos eram o engenheiro e ex secretário de obras do próprio Parini, o engenheiro Miranda. E o sócio da empresa é o engenheiro Del Pino que mora em Salete

    • SEM TETA ATÉ 2024, DE NOVO

      Pois é, meu amigo, o Parini foi uma lástima na cidade de Jales! E o PT local pretende lançar um candidato que outrora apoiava o famoso estadista com unhas e dentes na Câmara Municipal (eca).
      Mas apesar dos pesares, tem um forasteiro chegando aí que é mais sujo que pau de galinheiro, esse é o pior!
      É FLÁ 2020 PRO DESESPERO DOS SEM TETA!

    • Membro do grupo do ZAP do Bozo

      Me disseram lá no Almeida que quem comprava material para as casinhas era um tal de Junio! Será que era ele mesmo?!!

  • Tudo começou com Parini 2

    As 99 casas, começaram a ser construído em 2012, ainda no governo Parini, e só foi concluído em 2019. O local, totalmente inapropriado, obrigou a empresa a fazer muros de arrimo que não estavam no projeto original.
    A construção das casas pela Tecnicon Engenharia e Construção Ltda custaria R$ 7 milhões, mas acabou custando cerca de R$ 8,5 milhões. Flá, na época do CDHU, “arrumou” a diferença destinada a pavimentação, calçamento, terraplanagem, drenagem, paisagismo e muro de arrimo.
    A empresa teria que resolver os erros de construção. Não ficará barato. Será que os donos e engenheiros da construtora terão dinheiro para isso? Aí começa um problema jurídico.
    Se eu fosse o morador. Saia da casa e parava de pagar. Será que os mutuários tem onde ir?

  • #NÃOAREELEIÇÃO

    Já que os vereadores não querem fiscalizar, que é uma de suas obrigações principais, vamos trocar todos. Já do lado da Administração, também vamos renovar, pois o prefeito e seu Secretario de obras são fraquíssimos, é só houverem sua entrevista em uma radio da cidade esta semana e tirarem suas conclusões.

  • AQUINO PINTO

    prefeito que terceiriza tudo, não tem meu respeito, cheiro de mutreta no ar. começou com parini essa desgraça.

  • FRAco dia Tickets

    Meu amigo o vídeo da Rogéria dessolve o Traíra. O vereador que costuma mudar de lado meus vezes que muda de negócio foi desmoralizado. A mulher desmentiu cada letra dele.
    Bem que ele poderia ser vice do prefeito FRAco não é mesmo.

  • Ricarda Peçanha

    Cardosinho este caso fede mais que gambá. Tem cunhado de um parente assinava notas da empresa ninguém sabe o porquê.
    O Deley tá se matando pra evitar esta investigação e até o advogado da câmera foi tentar convencer os mutuários a desistirem. A coisa tá feia. Tô muito curiosa pra saber os motivos.

    • Carlos Eduardo

      Ninguém quis evitar investigação nem foi convencer ninguém a desistir de investigação. Ocorre que isso já está em investigação pelo Ministério Público conforme notícia do Jornal de Jales e a CEI não resolveria o problema. O problema tem que ser solucionado e a CEI não resolveria isso.

      • Borracha 2020

        Kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk kkkkkkkkk Rindo até o fim do mandato do prefaike! O negócio é borracha neles!

  • QUEM DEFENDE, CERTAMENTE LEVA UM $ POR #FORA

    ÔNIBUS TERCEIRIZADOS:
    ALGUÉM FISCALISOU ESSES VEÍCULOS ?.
    MINHA LINHA DE TRABALHO É RIO PRETO, QUANDO ENCONTRAR UM VEÍCULO DESTE PARADO (QUEBRADO), QUERO CHAMAR A TV TEM, PORQUE OS VEÍCULOS SÃO “VELHOS”, FICAM ALI PRÓXIMO À PRAÇA DOS JAPONESES, QUE ALIÁS, TAMBÉM ABANDONADA, UM DESRESPEITO À CULTURA JAPONESA, QUE É TÃO PRESENTE NA NOSSA CIDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *