APÓS 22 ANOS FUGITIVO É DESMASCARADO EM JALES

A notícia é do Diário da Região:

Uma ocorrência envolvendo venda de medicamentos proibidos acabou levando a Polícia Civil de Jales a encontrar um suspeito de assassinato, 22 anos depois do crime.

Tudo começou quando os policiais prenderam, na segunda-feira, 3, um comerciante identificado como Sílvio Dias Pereira, de 50 anos, que foi flagrado com 120 comprimidos de Pramil, uma versão falsificada do Viagra, com venda proibida no Brasil. Ele vendia o produto ilegal em uma mercearia que mantinha há 15 anos no bairro Vila União, tempo que passou vivendo em Jales.

Depois de suspeita dos policiais, uma investigação foi realizada, durante um mês, em parceria com a delegacia de Governador Valadares (MG). Após a prisão, o comerciante teve sua verdadeira identidade revelada. Seu nome é Samuel Antônio Pereira, procurado pela justiça de São Bernardo do Campo (SP) desde 1992.

História

De acordo com Sebastião Biazi, delegado operacional da Seccional de Jales, que desvendou o caso, Samuel é suspeito de ter matado a ex-mulher com um tiro de revólver 32 em São Bernardo do Campo, em 1990. Para escapar da justiça, em 1992 ele conseguiu uma Certidão de Nascimento falsa em nome de Silvio, na cidade mineira de Governador Valadares. 

Seis anos depois, em 1998, o fugitivo refez a sua documentação pessoal, usando a certidão falsa para tirar RG, CNH, Título de Eleitor e outros documentos, em Jales, onde viveu por 15 anos. “Ainda estamos investigando o que aconteceu durante esse tempo em que ele esteve em Minas Gerais até chegar em Jales. Recebemos uma denúncia anônima sobre os medicamentos, mas ele já tinha outras suspeitas há anos”, disse o delegado. 

Em 2007, Pereira chegou a ser indiciado por porte ilegal de uma arma que foi apreendida em sua casa. Ele ficou cerca de 4 meses foragido. 

“Para comprovar a falsificação de identidade, nós legitimamos o suspeito, ou seja, tiramos suas  impressões digitais e descobrimos, juntamente a delegacia de Governador Valadares, que Samuel Antônio Pereira e Sílvio Dias Pereira eram a mesma pessoa. Como o preso insistia na identidade falsa, a polícia consultou o Cartório da cidade mineira, onde ficou comprovada a fraude”, explica o delegado.

Com base nas acusações, Samuel Antônio Pereira foi preso e indiciado por falsidade ideológica, venda de medicamento proibido, com pena de 10 a 15 anos de prisão, e terá ainda de se apresentar à justiça de São Bernardo do Campo para responder pelo homicídio da mulher. Ele permanece na cadeia de Jales.

13 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *