CDHU TENTA SE EXIMIR DE RESPONSABILIDADE NO CASO DA CONSTRUÇÃO DO CONJUNTO “HONÓRIO AMADEU”

Em nota enviada ao G1 de São José do Rio Preto, a Companhia de Desenvolvimento da Habitação Urbana (CDHU) tenta se eximir de responsabilidade pelos malfeitos ocorridos na construção do conjunto habitacional “Honório Amadeu”, alvo de operação da Polícia Federal de Jales, que culminou na prisão temporária de seis pessoas.

Na nota, a assessoria da Companhia diz que a construção do empreendimento é fruto de convênio entre a CDHU e o município de Jales e que coube ao município realizar a licitação e celebrar o contrato. Até aí, tudo certo.

Mas a nota diz, também, que cabia à Prefeitura fiscalizar a respectiva execução da obra e que os recursos eram repassados mediante apresentação de nota fiscal correspondente aos serviços medidos pela própria municipalidade.

Há, porém, controvérsias quanto às partes grifadas. Segundo nota distribuída pela Prefeitura, a fiscalização da obra – como sempre ocorre – era feita pela CDHU, fato que já havia sido confirmado por um dos sócios da Tecnicon, o engenheiro Antonio Marcos Miranda.

Em entrevista, Miranda disse que a fiscalização da obra foi realizada pela CDHU, através de uma empresa terceirizada. Ele até citou o nome do engenheiro-fiscal. Da mesma forma, as medições da obra eram de responsabilidade da CDHU. Sempre foi.

Ademais, a CDHU, que sempre atrasava os repasses dos recursos, precisa explicar por que esses atrasos deixaram de ocorrer – segundo o mesmo Miranda – depois que o ex-vereador Rivail Rodrigues Júnior assumiu, digamos assim, o meio-campo entre Tecnicon-Prefeitura-CDHU.

6 comentários

  • Cadê o contrato?

    Já se sabia que a prefeitura e a CDHU iriam tirar a responsabilidade da fiscalização sobre a obra. Acho que não só as duas empresas mas a Sabesp e a Elektro deveriam fiscalizar a obra. Porque os erros (sempre) cometidos pelas pequenas empreiteiras vai ficar para elas.
    Num país onde a justiça não funciona, a empreiteira nunca corrige erros que ficam. Com o mutuário já morando. Principalmente agora que o Dória está fechando a CDHU.
    No caso da prefeitura, ela deveria fiscalizar as galerias que vão ficar para a sua manutenção. A Sabesp com as redes e ligações de água e esgoto. A Elektro, as redes de energia elétrica.
    Nesta briga de responsabilidade, temos um contrato.

  • Observador

    Só pegar o dinheiro que os presidiários desviou e fazer os reparos!!!!!

  • Amigo do Amigo

    Sei sei sei sim Rodrigo Garcia, entendido

  • Heitor

    E o pica pau vai continuar voando?

  • Engenheiro

    Melhor se informar. Antes de escrever

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *