CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO MANDA PRO LIXO AÇÃO CONTRA REDE DA CIDADANIA

Muitos episódios obscuros, vivenciados na atual administração, deverão começar a ficar mais claros neste ano de 2012. Por exemplo: pouca gente sabe que as desavenças entre o prefeito Humberto Parini e o seu ex-conselheiro Arnaldo Murilo Pohl começaram depois que o CMDCA, então presidido por Murilo, deixou de aprovar um projeto apresentado pela filha do prefeito, Gabriela Parini, então funcionária da Aderj.

Depois disso, o prefeito conseguiu, na Justiça, o bloqueio dos recursos repassados pela Petrobrás à Rede da Cidadania, uma Oscip fundada por Parini, Especiato e outros petistas – inclusive este blogueiro – e presidida por Murilo. A decisão da Justiça de Jales foi reformada pelo Tribunal de Justiça, mas o dinheiro, até onde eu sei, continua bloqueado.

Além disso, abriu-se na Câmara Municipal, por ordem de Parini, uma CEI para “investigar” a aplicação dos recursos repassados pela Petrobrás à Rede da Cidadania. A CEI, auxiliada por uma empresa de auditoria – a Azevedo Ltda – apontou algumas irregularidades contábeis, que foram, posteriormente, desmentidas por técnicos do Ministério Público.

Sabe-se agora que o Conselho Superior do Ministério Público mandou ao cesto de lixo a ação civil pública que havia sido proposta contra a Rede da Cidadania. O que não se sabe é qual será o próximo passo do execrado  Murilo Pohl. Durante todo o tempo em que foi colocado sob suspeita, ele fez obsequioso silêncio, mas, velho estrategista de guerra que é, já deve estar planejando o contra-ataque.    

18 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *