DESDE SAÍDA DE DILMA, GASOLINA JÁ SUBIU 30% EM JALES. E O DIESEL JÁ AUMENTOU 12% DEPOIS DA GREVE DOS CAMINHONEIROS

A foto acima é de abril de 2016, mês que antecedeu o afastamento da então presidenta Dilma Rousseff (o impeachment foi em agosto, mas ela foi defenestrada em maio) da presidência da República. De lá para cá, o preço médio da gasolina já subiu cerca de 30%, nos postos de combustíveis de Jales.

Em maio daquele ano, a gasolina era comercializada em Jales a R$ 3,32, em média, segundo a pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Já o preço médio praticado nesta semana, segundo a mesma ANP, chegou a R$ 4,29/litro.

Registre-se que o preço médio praticado em Jales é um dos mais baixos do estado de São Paulo. Em Votuporanga, por exemplo, a pesquisa diz que a gasolina está custando, em média, R$ 4,39, ou seja, dez centavos a mais por litro. E em Cubatão, que possui os combustíveis mais caros do estado, o preço médio da gasolina já passa dos R$ 4,50.

Já o preço do óleo diesel, que está irritando os caminhoneiros, aumentou pouco mais de 28% entre o afastamento de Dilma e os dias atuais. Em maio de 2016, o preço médio praticado em Jales era de R$ 2,88. Atualmente, o valor médio de cada litro de óleo diesel nas bombas de combustíveis de Jales já alcança os R$ 3,69.

Em relação aos preços que eram praticados antes da greve dos caminhoneiros, que eclodiu em maio do ano passado, o óleo diesel já subiu 12%. Em abril de 2018, mês que antecedeu a greve, os postos de Jales vendiam o óleo diesel a R$ 3,29, em média, uma diferença de R$ 0,40 por litro, em relação ao preço médio atual.

Como se vê, parece que os caminhoneiros bolsonaristas têm lá suas razões para se sentirem traídos pelo atual governo. 

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *