DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado, o principal destaque é para o “impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo(ACSP), que estima os impostos pagos pelos contribuintes brasileiros. O cálculo inclui tributos federais, estaduais e municipais e, de acordo com o tal  “impostômetro”, os contribuintes dos 24 municípios da região já pagaram em 47 dias – ou seja, no período entre 1º de janeiro e 16 de fevereiro – a soma de R$ 11,7 milhões. O painel do “impostômetro” foi implantado em 2005 pela ACSP para conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentiva-lo a cobrar os governos por serviços público de qualidade.

De acordo com o “impostômetro”, os contribuintes de Jales (49.110 habitantes, segundo estimativa do IBGE) já pagaram R$ 3,8 milhões, o que significa R$ 78,90 por habitante. Agora vejam a diferença: os contribuintes de Santa Fé do Sul (31.802 habitantes) também pagaram os mesmos R$ 3,8 milhões, ou R$ 120,70 por habitante. Outro estranho exemplo: Dolcinópolis, com 2.136 habitantes, teria pago R$ 47,6 mil, ou R$ 22,31/habitante, enquanto Dirce Reis, com 1.785 habitantes, já contribuiu, em tese, com R$ 107,4 mil, o que representa R$ 60,21/habitante.

Na coluna FolhaGeral, o incansável editor-chefe Roberto Carvalho está informando que nossa valorosa Câmara Municipal deverá analisar, na sessão da próxima segunda-feira, 19, um projeto de lei assinado pelo vereador João Valeriano Zanetoni(PSB), que institui no calendário de comemorações religiosas de Jales o “Dia de Pentecostes”. A data deverá ser celebrada anualmente, sempre no domingo mais próximo aos 50 dias subsequentes ao “Dia da Páscoa”. O “Dia de Pentecostes” poderá, também, fazer parte do calendário turístico da cidade, a exemplo da Romaria Diocesana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *