DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

Na edição digital do jornal Folha Noroeste deste sábado, o principal destaque é a notícia sobre a atuação do ex-candidato a deputado estadual – e, pelo jeito, pré-candidato a prefeito – Luiz Henrique Moreira, que, segundo a matéria, teria viabilizado junto ao deputado federal Guilherme Mussi(PP) a liberação de uma verba de R$ 300 mil para o Hospital de Amor – Unidade de Jales. A notícia diz, ainda, que o autor da liberação do recurso (Mussi), deputado federal reeleito e presidente estadual do PP, esteve em Jales na noite do dia 03 de setembro, na sede da ACIJ, para apoiar o então candidato Luiz Henrique Moreira, ocasião em que fortaleceu ainda mais os laços políticos com o empresário jalesense.

Destaque, igualmente, para uma nota, acompanhada de duas fotos, em que o jornal critica a administração municipal. Segundo a nota, não obstante os pedidos feitos ao governo municipal – diretamente ou através das redes sociais – o prefeito e seus assessores não estariam nem um pouco preocupados em atender as reivindicações da população. O jornal relata que, depois de muitas reclamações, a administração tomou providências para, em junho de 2017, desobstruir um valetão e recolher os entulhos acumulados. A solução encontrada pela Prefeitura, no entanto, foi paliativa e, no momento, a situação do valetão é a mesma de 2017, com água empoçada e mau cheiro permanente.

Na coluna FolhaGeral, o impetuoso redator-chefe Roberto Carvalho comenta a eleição para a presidência da Câmara que resultou na escolha do vereador Tiquinho(PSD) para comandar o Legislativo no biênio 2019-2020. O colunista diz que, em princípio, o candidato a presidente seria o vereador Fábio Kazuto(PSB), mas, sem que ninguém entendesse os motivos, o representante da colônia japonesa acabou desistindo. Roberto conta, também, que o vereador Tiago Abra(PP), ao ser indagado por que não disputaria a presidência da Câmara, teria explicado que não tinha como enfrentar a tropa de choque do prefeito Flávio Prandi. Segundo Abra, os aliados do prefeito tinham sido orientados a não votar nele em hipótese nenhuma.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *