DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, a principal manchete destaca a situação do coronavírus em Jales. Segundo o balanço divulgado ontem à tarde, nenhum caso positivo foi registrado entre a quinta e a sexta-feira, mas, em compensação, foram notificados mais 13 casos suspeitos, dos quais 04 já foram negativados. O balanço mostra que ontem, até as 16 horas, Jales tinha 24 casos suspeitos, aguardando os resultados dos exames. Tinha, também, 24 casos positivos, dos quais 08 já estão curados, 15 estão em isolamento domiciliar e apenas 01 está hospitalizado. Na Santa Casa, onde já morreram 02 pessoas com a covid-19 – nenhuma delas de Jales – quatro dos seis leitos da UTI adulto estão ocupados com 02 pacientes de Jales, 01 de Pontalinda e 01 de Urânia, o que resulta em uma taxa de ocupação de 66,6%.

O jornal está destacando, também, os resultados do PIB brasileiro, que teve uma redução de 1,5% no primeiro trimestre de 2020, na comparação com o último trimestre de 2019. Ressalte-se que o resultado negativo divulgado pelo IBGE inclui apenas os primeiros 15 dias de pandemia. A agropecuária – cuja ministra, Tereza Cristina, é uma ilha de competência no desgoverno Bolsonaro – foi o único setor da nossa economia que apresentou resultado positivo no primeiro trimestre de 2020, com crescimento de 0,6% em relação ao quarto trimestre de 2019. Com relação ao primeiro trimestre de 2019, o crescimento da agropecuária foi de 1,9%.

Na coluna FolhaGeral, o ensimesmado redator-chefe Roberto Carvalho, também conhecido pelo epíteto de Pestinha, está informando que o vereador Luiz Henrique Viotto, o Macetão, está questionando a Prefeitura e o Instituto de Previdência de Jales sobre o que será feito ainda neste ano para reduzir o déficit da previdência municipal. Segundo Macetão, o déficit atual é de cerca de R$ 400 mil mensais e tende a aumentar muito nos próximos anos, se nada for feito. De acordo com o vereador, pelo menos 120 servidores poderão se aposentar neste ano, o que irá elevar em cerca de R$ 500 mil mensais as despesas com aposentadorias, que, atualmente, já alcançam R$ 1,7 milhão/mês.  

1 comentário

  • Uma divida impagavel!

    O valor da dívida — da Prefeitura com o Instituto – deve ser superior a R$ 30 milhões. Hoje, o déficit atual é de cerca de R$ 400 mil mensais.
    Em maio/17, Flá anunciou que iria contratar uma empresa especializada para recalcular o débito. Em abr/18, a Câmara aprovou um projeto que reduziria a divida. A divida foi recalculado desde o início do parcelamento firmado em 2009. Tudo isso, para enrolar a divida.
    Em nov/19, o prefeito Flá encaminhou ao IMPSJ, propondo que aquela autarquia ficasse com o Estádio Municipal em troca de dívidas que ficou aguardando o parecer do jurídico do Instituto e da posição do TCE.
    Na realidade, a prefeitura não tem esse dinheiro. Ela tem o estadio, o aeroporto, e a rodoviária para oferecer em pagamento. Estadio é o mais disponível. Resta saber se o o instituto quer.
    Certamente esse pepino ficará para os próximos prefeito e os vereadores resolverem. Se os futuros comandantes não enrolarem, Como sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *