DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

No jornal Folha Noroeste, edição digital deste sábado, o principal destaque é uma lei aprovada pela Câmara Municipal no ano passado e sancionada pelo prefeito, Luís Henrique Moreira. A lei, de autoria do então vereador Macetão, vai obrigar pessoas que cometerem maus tratos contra animais a custear as despesas para o tratamento decorrente das agressões. Luís Henrique lembrou que “o reconhecimento dos Direitos dos Animais é uma evolução da sociedade em todo o mundo. Precisamos garantir a proteção desses inocentes, e uma forma de colocar isso em prática é exigir que o agressor arque com todo o tratamento do animal até sua plena recuperação”. Durante a semana, o prefeito reuniu-se com representantes da ONG “Protetores em Ação pelos Animais”, para explicar detalhes da lei.

Destaque, igualmente, para o projeto de Lei Complementar 02/2021, de autoria do prefeito Luís Henrique Moreira, aprovado pela Câmara na segunda-feira, 11, que trata da chamada “reestruturação administrativa e organizacional”. De acordo com o prefeito, além de valorizar os servidores concursados, o projeto vai permitir uma economia com custos da folha de pagamento do funcionalismo. A economia se dará, principalmente, pela extinção de 27 cargos em comissão, redução de salários de cargos que forem mantidos e criação de 65 funções gratificadas para servidores efetivos. O prefeito afirmou, ainda, que a nova estrutura irá “descentralizar os serviços para agilizar o atendimento ao cidadão, melhorando, dessa forma, o serviço público municipal”.

Na coluna FolhaGeral, o abusado redator-chefe Roberto Carvalho, o Pestinha, está criticando o tal coeficiente eleitoral, que continua causando injustiças nos processos eleitorais. O colunista lembra que, em Jales, três vereadores foram eleitos com menos de 500 votos, enquanto, de outro lado, outros quatro candidatos que obtiveram mais de 500 votos não foram eleitos. Roberto cita o exemplo do ex-vereador Jesus Martins Batista que, ao que parece, está sempre no partido errado. Ele já participou de cinco eleições e, em duas ocasiões (2016 e 2020), ficou entre os dez mais votados, mas não conseguiu assento em uma das dez cadeiras da Câmara Municipal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *