DEU NA FOLHA NOROESTE DE HOJE

folha noroeste 17.10.15O jornal Folha Noroeste deste sábado está destacando o projeto “Campeão da Conciliação”,  do pessoal do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Urânia, que está entre os dez finalistas do Prêmio “Mário Covas”, na categoria “Gestão Estadual”. O projeto foi criado com a finalidade de dar celeridade aos processos levados ao Juizado.

O bloqueio de bens de algumas pessoas envolvidas com fraudes em licitações na área da assistência social, no município de Santa Clara D’Oeste, e os esclarecimentos do presidente da Câmara, Tiquinho, a respeito da paternidade da verba de R$ 500 mil liberada para melhorias no asfalto de Jales, são outros destaques da Folha Noroeste.

Na coluna FolhaGeral, o editor Roberto Carvalho está cobrando da administração municipal a fiscalização sobre a distribuição de panfletos de lojas e supermercados nas ruas e residências. Roberto disse, também, que já existem pessoas achando que a ex-prefeita Nice Mistilides deveria voltar ao cargo. Segundo o colunista, “quem achou que a cassação resolvesse tudo, comeu pastel de vento”.

4 comentários

  • Fica calado

    A distribuiçao de panfletos (principalmente) dos supermercados e’ feita no pais inteiro e eu nao o que a prefeitura teria que fiscalizar?
    Se o jornalista quer a volta da ex prefeita cassada e’ para atender os seus interesses dele como dono de jornal pois nao sei se o jornal trabalha para a prefeitura ou nao?
    Na realidade, a situaçao da prefeitura so’ vai ser resolvida quando se pagar as dividas portanto calculo que vai demorar uns 10 anos, no minimo
    Isso com muita economia pois enquanto isso nao acontecer vamos pedir dinheiro aos politicos
    E agradecer muito

  • Jalesense 2

    A Folha D´Oeste quer a volta da Nice. O povo de Urânia agradece.

  • Anônimo

    Chupa turma do golpe, acharam que seria fácil, tomaaaa, já pode começar a trabalhar, afinal quase um ano, só pintar o pontilhão é pouco não acham?

  • Anônimo

    Acredito que hoje, só aqueles que foram beneficiados pela cassação ainda acreditam que a situação da cidade não degenerou a olhos visto, depois daquela lambança histórica que aconteceu por aqui num passado bem recente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *