EM DEZ ANOS, DESIGUALDADE DE RENDA CAI EM 80% DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS

Os jornais locais destacaram, neste final de semana, a evolução de Jales no Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios – IDHM, medido pela ONU (Organização das Nações Unidas). É bem verdade que ficamos atrás de nossas principais vizinhas – Votuporanga, Fernandópolis e Santa Fé do Sul – mas, de acordo com o índice, tivemos uma evolução razoável.

E, neste domingo, o Estadão divulgou um outro índice. Trata-se do índice Gini, um coeficiente desenvolvido pelo falecido estatístico e sociólogo italiano Corrado Gini, que mede a desigualdade de renda entre os cidadãos de um país ou de uma cidade.

A boa notícia é que, entre 2000 e 2010, a desigualdade caiu em 80% dos municípios brasileiros. Segundo o índice, o bolo da renda aumentou para todos, mas a fatia dos pobres cresceu mais que a dos ricos. E o que é melhor: nos últimos anos inverteu-se uma tendência, uma vez que, na década anterior – 1990 a 2000 – a desigualdade tinha aumentado.

Jales está entre os 4.431 municípios onde a desigualdade de renda diminuiu, assim como nossas vizinhas Fernandópolis, Santa Fé do Sul, Votuporanga e Rio Preto. O detalhe é que em Jales a distância entre os que ganham menos e os que ganham mais é a menor entre as cidades da região. 

Poucas cidades do estado de São Paulo apresentaram resultado negativo, com aumento na desigualdade: Parisi, Marinópolis, Sud Menucci e Guzolândia são algumas delas. Por outro lado, em Ilha Solteira o índice de desigualdade permanece o mesmo de 10 anos atrás.

Pelo menos, é isso o que está dizendo o tal Índice Gini. A queda na desigualdade é explicada, segundo os especialistas, pelo aumento real do salário mínimo, pelo crescimento do emprego e pela transferência de renda (Bolsa Família). A notícia completa, do Estadão, pode ser lida aqui.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *