EM JALES, ESTUDANTES E PROFESSORES PROTESTAM CONTRA REFORMA NO ENSINO MÉDIO

dsc02318-ed

Alunos e professores de pelo menos três escolas estaduais de Jales realizaram um protesto na Praça “João Mariano de Freitas”, hoje pela manhã, contra as reformas no Ensino Médio propostas pelo Ministério da Educação através da Medida Provisória (MP) 746/2016.

O protesto foi organizado por estudantes e professores e não ocorreu apenas em Jales. Segundo uma das professoras que liderou o movimento, ele deveria acontecer hoje em várias cidades do país, incluindo Brasília.

Ela explicou que, em Jales e – provavelmente – em outras cidades da região, o movimento ficou um pouco esvaziado por conta da nota distribuída pela Diretoria Regional de Ensino (a nota está publicada no post anterior). “Estava prevista a participação de outras escolas, mas elas acabaram não vindo”.

Durante o protesto, estudantes aplaudiram a informação de que, em Mesópolis, uma escola tinha aderido ao movimento. A Apeoesp não participou da organização do protesto, mas acompanhou de perto. Segundo a diretora da entidade, Maria Helena Porcina, a Apeoesp está preocupada com o possível fechamento de salas e a demissão de professores.

Em São Paulo, a presidente da Apeoesp, Maria Isabel Noronha, disse que a MP 746/16 prevê a implementação do ensino técnico nas escolas públicas e descarta a obrigatoriedade de disciplinas como artes, educação física, filosofia e sociologia. Além da redução do número de aulas de outras disciplinas, como história e geografia. A medida prepara o aluno para um “mero tecnicismo”, analisa Bebel.

Para a presidente da União Nacional dos Estudantes(UNE), Moara Correia Saboia, a proposta do governo aprofunda a desigualdade e discriminação educacional. Ela disse que a reforma do Ensino Médio é uma pauta que vem sendo debatida há anos por professores, alunos e pais, mas a demanda da comunidade escolar é bem diferente da proposta de Temer. “A gente tem um acordo de que é preciso mudar o Ensino Médio, mas com um diálogo entre todos os atores”.

Mudanças na educação

A primeira mudança importante determinada pela reforma é que o conteúdo obrigatório será diminuído para privilegiar cinco áreas de concentração: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

O segundo destaque da reforma será o aumento da carga horária. Ela deve ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800, de acordo com o MEC.

20 comentários

  • Omar Pereira da Mota

    Parabéns aos alunos pela participação no “movimento”, quanto aos professores de Jales e as demais cidades do interior um breve comentário: “Não da mais pra nós aqui da capital e grande São Paulo segurar greve e ir para o enfrentamento sem ter o interior pra nos apoiar, parem de pelegar e vamos pra luta”. Desculpe, mas a verdade é essa…

  • Vamos estudar que é melhor!

    A verdade é que professores e governo nunca se deram bem pois vivem brigando ora por salarios ora por mudanças.
    Um quer mandar mais que o outro e ainda entra a APEOESP, UNE, e outros para meter o dedo.
    Todos dizem que a escola media é fraca e todos querem mudanças pois os alunos, pais e professores estudam, estudam porem não chegam a decisão nenhuma. Pois agora o governo chegou a uma decisão.
    Acho que aluno deveria estudar e obedecer as decisões tomadas.
    Professor! dar aulas

    • Omar Pereira da Mota

      Companheiro “Vamos estudar que é melhor”, pra falar da escola pública tem que estar no chão da escola, tem que viver os problemas dela no dia a dia. Não escondo meu nome e nem quem eu sou nos meus comentários, me chamo Omar, jalesense por 26 anos dos meus 39 de vida e desde 2004 sou professor da rede pública de ensino do Estado de São paulo. Você já se perguntou porque as turmas que se formam na FAI Jales diminuem a cada ano? A resposta esta ligada aos problemas da educação pública, dentre eles falta de incentivo aos profissionais da educação que vão desde boas condições de trabalho até salários dignos… magistério já não chama à atenção dos jovens. APEOESP que você depreciou no seu comentário é apenas um órgão que depende do trabalhador da educação pra funcionar. A pauta de luta da APEOESP, (sempre decidida por professores em Assembleias Públicas), vai muito além da questão salarial, sempre lutou por menos alunos por sala de aula, mais investimentos para a educação, fim da progressão continuada, segurança, enfim, tirar a escola do século XIX e trazer a mesma para o século XXI. Se você procurar se integrar da reforma proposta pelo Golpista Temer na integra, tenho certeza que mudará suas concepções sobre ela. A sociedade tem que apoiar essa luta contra essa reforma, assim como tem que lutar contra a reforma previdenciária. Já percebeu que esse governo só fala em reforma que tira direitos trabalhistas e sociais e pior todas por decreto? Decreto é a mesma coisa de Ato Institucional na prática, coisa de militarismo. Esse governo aprovou uma emenda parlamentar que congela investimentos na educação pública nos próximos 20 anos. Será que a educação pública esta tão rica assim ao ponto de não precisar de investimentos? Nossa luta é por uma escola de qualidade aos filhos da classe trabalhadora que dela precisam, não estou lhe subestimando, mas te convido pra conhecer o chão da escola pública pra entender nossas preocupações, até porque ensino público, gratuito e de qualidade é um dos princípios básicos da cidadania segundo nossa Constituição. Se temos muitos problemas sociais, o caminho para superar todos é a educação… Não venho através de minhas palavras montar aqui um cavalo de batalhas, mas sim contribuir na discussão… Mas antes de se criticar é preciso viver a situação…

      • Vamos estudar que é melhor!

        OMAR
        Me explica uma coisa : porque só professor de escola publica faz greve?
        Eu não vejo o professor de escola particular reclamando das condições de trabalho?
        Eu acho que quando o salario é baixo, pede demissão e vá trabalhar em outra escola.
        Ponto final

        • Omar Pereira da Mota

          Simples meu caro… já foi em uma escola particular e contou quantos alunos tem por sala? já perguntou pra um professor de escola particular qual é a carga horária de trabalho dele? já perguntou quanto é pago aos professores da escola particular por hora aula? Já deu uma boa analisada no material didático de uma escola particular? Já se inteirou das condições de trabalho de um professor de escola particular e das condições de aprendizagem dos alunos?
          Depois que você tiver todas essas respostas, compare-as com os mesmos dados, mas da escola pública.
          Respondendo sua outra observação< não meu caro, não vou largar a escola pública e ir pra escola particular; aliás também ministro aulas em colégio particular e quero que meus alunos da escola pública tenham as mesmas condições dos meus alunos do colégio particular.
          A educação tem que ser de qualidade e igual pra todos…

  • Pergunta aí quem não gosta de emendar feriados, escolas fechadas em pontes de feriados, alunos felizes sem aprender,professores despreocupados pq vão receber e o governo economizando na educação pra gastar no lazer. Conclusão: Cada povo tem o governo q merece.

    • macaco prego.

      Concordo, em parte. A escola de hoje é diferente das antigas, do meu tempo que os alunos respeitavam e os professores davam boas aulas. Hoje existem professores falando nais vai, nois foi, nois ficô, etc..
      O poder público finge que paga, o professor , com exceções, finge que ensina e o aluno finge que aprende.

  • Jalesense

    VAMOS ESTUDAR QUE É MELHOR–para iniciar a discussão acho que não entendes nada de educação, professores e governos nunca se deram bem, mas o motivo único não é a luta por salários, mas também, falta de matérias didáticos, falta de professor ( professor de química dando aula de português), falta de orientação técnica, salas de aula onde normalmente cabem 30 alunos, são colocados 40 a 45 alunos, falta de ATPCs feitos com seriedade e dignidade pelo estado, falta de giz, falta de apagadores, falta de inspetores de alunos, falta de serventes, professores apanhando de alunos nas escolas e as Delegacias de Ensino escondendo da população, a famosa Programação Continuada ( onde o aluno é obrigado a passar de uma série para outra sem ao menos saber nada de nada ), fechamento de salas de aulas e, tendo como consequência o desligamentos de vários professores, corrupção na merenda em SP de 200 milhões de reais, professores a mais de dois anos sem ter aumento, sequer a inflação anual e, o Judiciário com 42% de aumento, os Parlamentares com 28% de aumento junto com o poder executivo e os funcionários Federais, Estaduais e Municipais sem aumento nenhum etc….
    Meu preclaro preste atenção antes de falar bobagens: São Paulo o estado mais rico da União esta abaixo do Brasil na média das áreas avaliadas, dentro da educação. Os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais ( INEP ), o Brasil ocupa 57º lugar entre os 65 países pesquisados.
    Nas redes estaduais o cenário de SP é pior, pois perde até para a maioria dos Estados do Nordeste brasileiro.
    Como pode um pessoa em sã consciência admitir que as disciplinas de Ed. Física, Sociologia e Filosofia devem desaparecer do currículo escolar, quem pensa assim deve ser um desajustado dentro da área de Educação ( sem levar em conta: o que se faria com as faculdades onde tem essas áreas e os professores,já formados e dando aula ? ) Se por acaso fosse um filho ou filha do entendido de organização educacional, pois pelo que se sabe as ideias deveriam ser discutidas com pais de alunos, professores e alunos e não com Alexandre Frota, quando foi ao Ministro da educação levar as suas ideias para a Educação Brasileira, só falta agora querer colocar aulas de pornografia não é Sr. Vamos Estudar que é melhor.
    A organização proposta pelo governador do Estado de São Paulo:
    Não se trata de uma reorganização visando à melhoria da educação oferecida pela rede estadual: é antes uma reforma administrativa que visa reduzir gastos da pasta e abrir espaço para seu projeto privatista para a rede estadual.
    O impacto imediato será o fechamento de salas de aulas e até mesmo de escolas inteiras. Segundo o Censo Escolar de 2.015, a rede estadual de São Paulo mantinha 5.585 escolas; agora, segundo os números divulgados pelo governo estadual, serão 1.443 escolas de ciclo único; 3.186 escolas com dois ciclos; e 479 escolas com três ciclos. Ou seja, serão 5.108 escolas mantidas pela rede estadual paulista.O que o governo pretende é eliminar as 2 milhões de vagas excedentes, mas sem alterar módulo absurdo de 35 ou 40 alunos por sala de aula e nem a jornada de trabalho excessiva dos professores.
    Professor não quer mandar em ninguém, só quer é ter condições dignas de um ser humano para ensinar vossos filhos, para não se tornarem um bibelô nas mãos desses políticos corruptos. Lembrando sempre que escola é para dar ensinamentos culturais e não dar educação aos filhos dos outros.
    Estava me esquecendo, você deve ser abastado e pagar escola particulare para seus filhos ( se tiver Filhos ).

  • Jalesense

    CARO SENHOR VAMOS ESTUDAR QUE É MELHOR******olha as propostas levadas ao Ministério pelo sr. ALEXANDRE FROTA e já aprovadas, tomara que um dia seus filhos ( as ) venham a precisar:
    O Ministério da Educação e Cultura (MEC) suspendeu nesta quarta-feira, 18, novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) de uma série de cursos em nove faculdades. A medida também prevê suspensão de seleção para oferta de bolsas dos programas Universidade para Todos (Prouni) e Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).
    A decisão foi publicada no Diário Oficial da União e é a primeira ação do novo governo no sentido de limitar programas da gestão Dilma Rousseff (PT) na Educação. A medida cautelar foi tomada através da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC.
    As instituições alvo das punições são: Escola Superior de Relações Públicas (Secretaria Executivo); Universidade Bandeirante Anhanguera (Gestão Financeira); Faculdade de Ciências Contábeis de Itapetininga (cursos de Ciências Contábeis e de Administração); Faculdade São Camilo (Administração); Faculdade Afirmativo (cursos de Direito, Secretariado Executivo e Administração); Faculdade José Lacerda Filho de Ciências Aplicadas (Ciências Contábeis); Faculdade São Marcos (Administração); Faculdade do Descobrimento (Administração); e Faculdade de Ciências Contábeis Luiz Mendes (Ciências Contábeis).

    • Vamos estudar que é melhor!

      JALESENSE
      Voces, petistas corruptos, entregaram o governo todo quebrado, com a roubalheira da Petrobras (empresa falida).
      Agora reclamam que falta dinheiro!
      Vá se catar

  • ENTREI NA DISCUSSÃO

    NÃO É SÓ SÃO PAULO QUE QUER DAR UMA MÃOZINHA PARA OS DONOS DAS ESCOLAS PARTICULARES E ESCOLAS DE CURSOS TÉCNICOS.

    Dezenas de escolas em todo o Paraná estão com as aulas suspensas nesta quinta-feira (6) por causa da ocupação de estudantes que são contra a medida provisória sobre a reforma do ensino médio anunciada pelo governo Michel Temer. Até as 10h, pelo menos 20 colégios estavam ocupados, a maioria em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Não há prazo para a desocupação. O primeiro ato foi na terça-feira (4), no Colégio Arnaldo Jansen, em São José dos Pinhais.
    A MP prevê ampliação da carga horária do ensino médio para 1.400 horas – atualmente são 800, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). A MP prevê redução da carga das disciplinas obrigatórias, dentre elas filosofia e sociologia, e aumento da carga cinco áreas de conhecimento, de acordo com a escolha do aluno: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.
    Críticos do projeto defendem que a proposta visa estimular mais a formação voltada para o mercado do que a formação crítica, reflexiva. Também entendem que o projeto, ao fomentar a formação “mercadológica”, tem como objetivo favorecer empresas de educação do setor privado, especialmente as de cursos técnico.
    Os defensores do projeto afirmam que, ao dar ao aluno a opção de focar mais em uma das cinco áreas de conhecimento, gradualmente o País terá menos precariedade de formação que atenda ao mercado.
    Isso chama-se o início da privatização da Educação, pois para o governo atual, quanto mais desinformados , mais tempo no poder e mais corrupção.

  • ENTREI NA DISCUSSÃO

    FIM DA EDUCAÇÃO NO BRASIL E TEM OTÁRIO QUE ACHA CORRETO—MÉDICOS JÁ FALTAM, MAS AGORA NÃO TEREMOS MAIS MÉDICOS ESPECIALISTAS.

    Temer corta bolsas de residência médica e recém formados assistirão Grey’s Anatomy para se especializar
    O MEC decidiu que, a partir do ano que vem, não criará novas bolsas de estudos para médicos residentes. O argumento utilizado para o fim das novas bolsas é o de ‘corte orçamentário’, já que a manutenção das bolsas que já vigoram custa R$ 600 milhões aos cofres do MEC. Para garantir que os médicos tenham acesso à residência, Temer anunciou nessa tarde uma parceria entre o Governo e a Netflix, que dará aos médicos recém formados a possibilidade de estudar e praticar Medicina assistindo Grey’s Anatomy.
    O programa “Mais Meredith” entrará em vigor em 2017 e disponibilizará senhas de acesso apenas para séries médicas na Netflix, dando aos recém formados uma base de treze temporadas de Grey’s Anatomy e uma especialização em oito temporadas de House.
    De acordo com Temer, o Programa ensinará muito mais que apenas Medicina.
    “O programa formará não apenas excelentes médicos, mas também irá prepará-los para sobreviver à quedas de avião, tiroteios e bombas. É muito mais completo e barato” disse Michel Temer durante coletiva.
    Questionado se já existem estudos que comprovam a eficácia do novo programa, Michel Temer disse que testou ele mesmo o novo método com a série House of Cards. Ele ainda prometeu expandir o programa para outros cursos superiores.
    “Acreditamos que o atual modelo de ensino brasileiro é ultrapassado e vemos nessa parceria com a Netflix o futuro da educação no nosso país. Pretendemos expandir o formato para outros cursos e o de Direito deverá valer a partir de 2018 e utilizará como base as séries How To Get Away With Murder, The Good Wife e Scandal” finalizou Temer.

  • BEM FEITO

    PARA ONDE VAI A EDUCAÇÃO NO BRASIL? PARA O FUNDO DO POÇO MAIS AINDA.

    No Brasil, os gastos mais justos são os primeiros a serem cortados”
    O ex-ministro aponta os perigos da PEC 241, que congela os gastos em educação por 20 anos, mas pondera: a esquerda precisa apontar alternativas
    Ribeiro: ‘Para universalizar o atendimento, é preciso construir escolas, contratar professores’
    Temer, a PEC 241 e a entrega irrestrita ao neoliberalismo.
    Congelamento de verbas de saúde e educação vai a votação.
    Passado o primeiro turno das eleições municipais, a PEC 241, a prever um teto para os gastos públicos, com o congelamento dos investimentos em saúde e educação por 20 anos, avança no Congresso. Um primeiro relatório sobre a proposta, favorável à aprovação, foi apresentado na Câmara na terça-feira 4, enquanto o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcava a votação inicial em plenário para a segunda 10.
    Com o objetivo de tentar diminuir resistências parlamentares à aprovação, o relator Darcísio Perondi (PMDB-RS) combinou com o governo uma mudança no projeto. O congelamento dos recursos de saúde e educação começaria não em 2017, como previa a proposta original do governo, mas em 2018. Desse modo, levará mais tempo para a população sentir os efeitos da falta de verba em hospitais e escolas e, talvez, isso não afete o humor do eleitorado nas próximas eleições gerais.
    Ex-ministro da Educação do governo Dilma, o filósofo Renato Janine Ribeiro alerta que a proposta inviabiliza o cumprimento da meta de universalizar o atendimento das crianças e adolescentes em idade escolar até 2020, como prevê o Plano Nacional de Educação. Atualmente, 3 milhões de alunos entre 4 e 17 anos estão fora da escola, segundo o Censo Escolar, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no fim de março.
    “Além da questão quantitativa, há o desafio de melhorar a qualidade da educação pública, o que implica em melhor formação dos professores, em investimentos em material didático alinhado com as novas diretrizes curriculares e também na valorização da carreira docente”, afirma o ex-ministro, em entrevista ao o Globo de ética e filosofia política da USP, Ribeiro pondera, porém, que a esquerda precisa apontar alternativas, em vez de apenas reivindicar mais recursos. “Desde a reeleição de Dilma, a esquerda ficou muito na defensiva, e isso se intensificou ao longo do processo de impeachment”.
    Por isso o povo brasileiro é o que é.

  • JALESENSE

    VAMOS ESTUDAR QUE É MELHOR—Otário em primeiro lugar, as escolas particulares não precisarão, fazer mudanças nos seus currículos, as classes tem no máximo 30 alunos, não faltam matérias didáticos, não faltam matérias nas secretárias, não há corrupção na merenda escolar de 200 milhões, os professores tem o apoio, dos pais, os professores ganham duas vezes mais que os professores de escolas públicas, os pais pagam as mensalidades por isso exigem ensino de qualidade, tem escriturário, tem serventes, tem inspetores de alunos, cada professor dá aula na disciplina que é formado, a escola não pensam em diminuir gastos e para isso lotam as classe com 50 alunos, alunos não batem em professores, nas escolas particulares tem recuperação paralela, nas escolas particulares não tem a Progressão Continuada, onde o aluno é obrigado a passar de ano sem ao menos saber o minimo, nas escolas particulares os professores tem aumento todo ano de acordo com a inflação, os prédios são de excelentes qualidades, tem orientadores educacionais etc…
    Em segundo lugar só um Boçal despreparado e Imbecil poderia colocar como resposta essas asneiras de um desqualificado tanto mentalmente, quanto intelectualmente, pois de Educação não sabe nada e por isso não tem argumentos inteligentes, sobre o tema.
    Em terceiro lugar seu Imbecil frequente dois dias, aula numa escola pública e depois dois dias numa escola particular, para veres a diferença em todos os sentidos seu Boçal. Tem escola pública que nem papel higiênico tem para os alunos e professores.
    Em quarto lugar Otário, os professores em quase toda sua totalidade das escolas publicas tem e muita qualidade para dar aula, pois diversos deles dão aula em escola pública e ao mesmo tempo em escola particular, a unica diferença é que nas escolas públicas os alunos não deixam o professor trabalhar e os que insistem em dar aula pode até apanhar e ficar dentro de um sala de aula, sentindo o cheiro de cigarro, ma………… e outras coisas , não a ser humano que suporte, a não ser um Bastardo como você.
    Em quinto lugar seu Bastardo ninguém aqui esta falando de politica partidária, estamos falando de Educação que é : um conjunto de ações e influências exercidas voluntariamente por um ser humano em outro, normalmente de um adulto em um jovem. Essas ações pretendem alcançar um determinado propósito no indivíduo para que ele possa desempenhar alguma função nos contextos sociais, econômicos, culturais e políticos de uma sociedade.
    No sentido técnico, a educação é o processo contínuo de desenvolvimento das faculdades físicas, intelectuais e morais do ser humano, a fim de melhor se integrar na sociedade ou no seu próprio grupo.
    Educação no sentido formal é todo o processo contínuo de formação e ensino aprendizagem que faz parte do currículo dos estabelecimentos oficializados de ensino, sejam eles públicos ou privados.
    No Brasil, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases, a Educação divide-se em dois níveis, a educação básica e o ensino superior. A educação básica compreende a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio. A educação nacional remete para o grupo de órgãos que fazem a gestão do ensino público e fiscalização do ensino particular.
    Boçal vai escrever burradas em outra freguesia e aproveita para ir catar meu coquinhos. Quem estuda, faz faculdade, mestrado e doutorado como muitos professores, e batalham para transmitir seus conhecimentos, a milhares de alunos, merecem um salário digno. ( isso não é para sua Imbecilidade ).

    • Estudante

      Faz um tempo que os pais esqueceram que escola serve para ensinar e não para educar. Quem educa são os pais. Professor é formado para dar aula e não para ser babá. Por isso hoje vemos essa maré de péssimos alunos que não querem aprender e ainda atrapalham os professores a ensinar quem quer. Vi muito disso na minha formação, que foi interamente em escola pública. Presenciei, inclusive, professores se oferecendo para dar aula fora do seu horário, somente para os alunos interessados na matéria. Tive uma professora de física (de nome Rose), que era odiada por muitos na escola, pois era conhecida por ser a ‘chatona’. Essa mesma professora chegou a nos dar aula em período diferente do nosso, pré-combinado, e aprendemos muito com ela. De uns anos pra cá, uma coisa se perdeu: PROFESSOR É FORMADO PARA ENSINAR, NÃO PARA EDUCAR.

  • JALESENSE

    VAMOS ESTUDAR QUE É MELHOR- por favor caro intelectual em Educação Nacional, dê uma lida neste Artigo da Folha de São Paulo seu Otário:-
    Folha: Temer promove jantar para 400 deputados aprovarem cortes de verbas de escolas e hospitais públicos
    Segundo matéria de hoje (06) da Folha de S. Paulo, o presidente ilegítimo Michel Temer promoverá para 400 (quatrocentos) deputados governistas um fausto jantar para que aprovem em primeiro turno a chamada “PEC do teto”, que na prática corta verbas por vinte anos de escolas e hospitais públicos, dentre outras áreas que servem à população. Comilança com o dinheiro do povo será domingo (9). No dia seguinte, parlamentares deverão votar o projeto do governo.
    Na matéria da Folha, percebe-se também que Temer utilizará ainda mais dinheiro público para tentar convencer a população de que gastos em setores sociais devem ser cortados. Neste sentido, escalou Henrique Meirelles (Fazenda) para ocupar as poderosas e caras redes de TV do país para divulgar a medida.
    Como é comum nessas situações, parlamentares deverão também ser agraciados com mais cargos e benesses governamentais. Ou seja, a tal “PEC do teto” só limita mesmo gastos que envolvam os interesses da maioria da povo. A maior parte do dinheiro economizado será destinada ao pagamento de juros da dívida pública junto a banqueiros e isenção de impostos a grandes empresários.
    Segundo conselhos de saúde e entidades de classe em todo o país, essa PEC do teto trará perdas bilionárias para o setor e pode significar literalmente a morte do SUS. Entidades falam em prejuízos de mais de R$ 400 bilhões, de acordo com matéria do g1.
    Ainda de acordo com matéria do g1, o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Santos, diz que a PEC do teto comprometerá cirurgias oncológicas, exigirá menos gastos com o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), menos equipes de Saúde da Família, menos transplantes e menos assistência farmacêutica em um cenário de crescimento e de envelhecimento populacional – momento em que a Saúde é mais demandada.
    Por outro lado, segundo o Professor-doutor João Sicsú, do Instituto de Economia da UFRJ, o orçamento da educação em 2015 foi de R$ 103,8 bilhões. “Na regra antissocial de Temer, teria sido de apenas R$ 31,5 bi – um orçamento 70% menor”, compara. Para Sarah Vilarinho, educadora e especialista em finanças públicas, PEC do teto significa menos salários para os professores e mais sucateamento das escolas. “Até a merenda escolar ficará mais ruim”, alerta.
    As centrais sindicais que se opõem ao governo já se organizam para evitar que essa PEC do teto possa de fato ser posta em prática. A CUT já anuncia greve geral em todo o país.
    O que você diz sobre isso seu Imbecil. Eu digo é o presidente golpista comprando ( praticando corrupção ), os deputados com Jantar e altos cargos para aprovarem a PEC do Teto.
    Vai estudar seu incompetente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *