ESCOLA ‘CARLOS ARNALDO SILVA’ LANÇA PROJETO AMBIENTAL EM PARCERIA COM A COOPERSOL E A ECOAÇÃO

dsc02223-ed

Ontem, 27, alunos e professores da EE “Carlos Arnaldo Silva” – conhecida também como a “Escola do Prata”, localizada no Jardim América – fizeram uma caminhada por algumas ruas da cidade com o objetivo de divulgar o projeto “Parceira do Saber – Reciclando o Conhecimento – que está sendo desenvolvido pela escola, em parceria com a Ecoação e a Coopersol.

dsc02229-pqO projeto, coordenado pelos professores Heder Henrique Donda e Geisa Molina, inclui, entre outras coisas, a instalação de um Ponto de Entrega Voluntário (PEV), nas dependências da escola. O PEV é um local onde as pessoas – ao invés de deixar os resíduos sólidos em frente às suas casas – poderão depositar tais resíduos, os quais serão recolhidos periodicamente pela Coopersol.

Segundo Edson Edgar Batista, da Coopersol, o PEV oferece uma série de vantagens ao sistema de coleta domiciliar, onde as pessoas depositam os resíduos sólidos defronte suas residências e o recolhimento é feito porta-a-porta. “O PEV é mais prático, é mais seguro, é mais barato e provoca uma mudança de hábitos, além de um maior comprometimento das pessoas envolvidas no processo”, explicou Edson.

De acordo com os coordenadores Heder e Geisa, a escola “Carlos Arnaldo Silva” está se incumbindo de – além de disponibilizar espaço para a instalação do primeiro PEV – desenvolver uma campanha de esclarecimento, informando aos alunos, professores, funcionários e colaboradores sobre a importância de se engajar no projeto.

Como contrapartida, os livros – sim, há muita gente que joga livro no lixo – recolhidos pela Coopersol deverão ser destinados ao acervo da sala de leitura da escola, a título de doação. “Ou seja, é a mão da Escola destinando resíduos sólidos para a Coopersol e a mão da Coopersol destinando livros para a Escola”, explicou a professora Geisa.

Segundo o diretor da Escola, Luís Especiato, um dos objetivos do projeto é a conscientização dos estudantes quanto ao respeito ao meio ambiente. “É no ambiente escolar, onde se desenvolve a educação, que as coisas conseguem de fato acontecer e onde transcorrem as mudanças de comportamento mais duradouras”, disse Especiato.

Além de colaboradores da Ecoação e da Coopersol, o lançamento do projeto, ocorrido na quarta-feira passada, 21, teve a participação de representantes da Diretoria Regional de Ensino, Sabesp e Fatec, que também são parceiros da Escola “Carlos Arnaldo Silva”.

2 comentários

  • Luis Especiato

    Esse é um projeto importante, pois procura orientar os alunos e a comunidade sobre a destinação de resíduos sólidos e ainda permite à Escola a aquisição de livros para a sala de leitura. Além disso contribui com o meio ambiente e com a melhoria da renda de cada um dos 20 cooperados da Coopersol.

  • Marcos R. Mota

    A reciclagem, além do apelo à tão badalada ecologia (mostrada quase sempre de forma abstrata) tb proporciona (ou poderia proporcionar) um modo digno de se “ganhar a vida” para inúmeras pessoas, como os cooperados da Coopersol.
    Seres humanos tb fazem parte da preocupação ecológica e só com eles todos tendo vida digna ela se torna algo concreto.
    Que os alunos aprendam não apenas a valorizar a “natureza idealizada” mas sim que entendam que pessoas fazem parte dela não como inimigas mas como integrantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *