FISCAIS DO CONSELHO DE TÉCNICOS EM RADIOLOGIA SE ASSUSTAM COM AS CONDIÇÕES DA UPA DE JALES

Antes de irmos à notícia, vejamos as recomendações para a blindagem de uma sala de radiologia, que encontrei na internet:

A blindagem de sala de raio x é extremamente importante, não só porque os feixes de raios x atingem as paredes e os envolvidos, mas também porque esses feixes não podem ultrapassar os limites da sala. Quando não há blindagem eficaz, ocorre o vazamento da radiação, o que é muito prejudicial à saúde das pessoas.

Vamos, agora, à notícia que está pendurada no portal do Conselho Regional de Técnicos em Radiologia:

No começo de abril, durante uma fiscalização de rotina na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jales, fiscais detectaram rachaduras nas paredes da sala de raio-x. Através das fendas, era possível ver o outro lado do recinto.

Por volta das 13 horas, agentes de fiscalização visitaram o setor de radiologia da UPA de Jales, administrada pelo Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região de Jales (Consirj), e, enquanto aguardavam a documentação referente às condições legais dos profissionais que lá trabalham, ficaram alarmados com a situação da sala de raio-x.

No relatório, a fiscal detalha as condições do local. “A sala de raio-x encontra-se com o teto comprometido e a parede com várias rachaduras graves que dá para ver o lado de fora. O teto encontra-se escorado por barras de ferro”, informação confirmada pelo diretor da UPA.

No documento emitido pela agente, ainda consta que o MP e a Vigilância Sanitária já haviam visitado o local e, por meio de um cronograma, estipulado um prazo de 16 meses para obras de reforma na sala.

5 comentários

  • Geroma.

    Eu quero muito saber quem contratou o Maurinho Enfermeiro para trabalhar lá anos atrás e o que ele fazia de realmente útil no local. Se foi algo ilegal ou imoral, o que acho que foi, podiam pedir a devolução dos salários e aplicar em reformas como essas necessárias.

  • Essa cidade está um L I X O !!!

  • Eu

    Por que quando foi construído o prédio não inverteram a construção.
    Deveria ter construído o prédio no lugar de estacionamento das ambulâncias onde o terreno não necessitava de aterro e onde é o prédio deveria ser o estacionamento.
    Aterro mal feito problemas estruturais só demolindo e fazendo outro.

  • Além da radiação,periga o prédio desabar sobre os pacientes e funcionários.

  • PREJUDICADO

    BOM DIA , O QUE DEVERIA TER ACONTECIDO ALI NO PROJETO DA OBRA SERIA UM ESTACIONAMENTO NO SUBSOLO DA OBRA E ENCIMA DA LAJE AI SIM SE FAZER O PREDIO DA UPA O TERRENO TERIA SIDO MUITO MELHOR APROVEITADO , SEM OS PROBLEMAS ATUAIS . SO ISSO RESOLVERIA O PROBLEMA DE SE TER FAZER UM ATERRO NO LOCAL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *