JALES E FERNANDÓPOLIS FICAM DE FORA DA LISTA DE REFORÇO DA VACINAÇÃO CONTRA H1N1

A notícia é do G1:

Algumas cidades do noroeste paulista, que tiveram casos confirmados de H1N1 e registraram mortes, ficaram de fora da lista de reforço da vacina, que começou nesta quarta-feira (23). As doses que sobraram da campanha do ano passado, em alguns municípios, não são suficientes para imunizar todo o grupo de risco.

A Secretaria de Saúde do estado disse que as cidades escolhidas para o reforço fazem parte da ‘região epidemiológica de São José do Rio Preto (SP), região que concentra a maioria dos casos de São Paulo.

Apenas cinco frascos foi o que sobrou da campanha de vacinação contra a gripe, de 2015, em um posto de saúde de Fernandópolis (SP). A dona de casa Fernanda Ramos trouxe a filha de sete meses para tomar a vacina. A preocupação é com o aumento de casos de H1N1, só este ano, 12 pessoas tiveram a doença na cidade, uma morreu.  “Tem vários casos na cidade de gripe e como ela não tomou nenhuma dose, resolvi trazê-la para vacinar”, afirma Fernanda.

Em Jales (SP), os moradores também estão preocupados, porque nove pessoas pegaram o  vírus na cidade. Uma delas, um bebê de cinco meses, morreu por causa de complicações desse tipo de gripe. Os postos de saúde ainda oferecem algumas doses da vacina que sobraram do ano passado, mas a quantidade não é suficiente para atender todos que estão no grupo de risco. “Tem de esperar, a gente orienta a questão das preocupações, que é evitar aglomeração de pessoas, ambientes fechados, sem ventilação”, afirma Renata Rachieli, enfermeira da Vigilância Epidemiológica.

A Secretaria Estadual de Saúde selecionou 67 municípios para receber a vacinação antecipada contra a gripe. Mas Jales e Fernandópolis não estão na lista, mesmo tendo casos confirmados e mortes causadas pela doença.

Das 67 cidades da região relacionadas pela Secretaria de Saúde do Estado para receber o reforço da vacina, pelo menos 40 não registraram casos de H1N1. A secretária de Saúde de Fernandópolis, Lígia Barreto, diz que não entendeu o critério de seleção do estado. “Foi uma surpresa já que temos 12 casos positivos e um óbito e não estar recebendo mais doses. A alegação do estado é que devido termos atingido a meta vacinal do Estado não nos foi fornecido quantidade a mais dessa sobra”, afirma Ligia.

Todos que tomarem a vacina por esses dias e aqueles que não conseguirem receber a dose, devem voltar ao posto de saúde no fim de abril, quando começa a campanha nacional de vacinação contra o vírus.

5 comentários

  • macaco prego

    É o prêmio dado pelo Governo do PSDB em agradecimento aos votos que sempre tiveram em Jales, parabéns

  • Thiago

    As vacinas só chegam na rede pública a partir de 30 de abril, isso é, no mínimo, uma tremenda sacanagem.

    Por outro lado, se você pagar de R$ 80,00 a R$ 100,00 pode tomar a vacina em alguma clínica ou farmácia da cidade.

    Esse é o mal do brasileiro, adora lucrar com a desgraça alheia, lembro da tragédia em Mariana/MG em que um empresário aumentou o valor do galão de água mineral, agora, enquanto a população está desesperada estão enchendo os bolsos com lucros absurdos em cima de uma vacina que não está disponível gratuitamente.

    Essas mesmas pessoas vão pra rua pedir o fim da corrupção, hipocrisia.

    Tudo bem que vivemos em uma economia capitalistas mas, o bom senso e um pouco de filantropia, nunca fizeram mal a ninguém.

  • Anônimo

    Parabéns Analice e Rodrigo Garcia vcs me representam$$$$$$### # foda-se Jales

  • Anônimo

    Fausto pinato é o cara!! Parabéns!!! Analisa! Carlão Sapão e Itamar bejokeiro!!

  • Meu primo em Votuporanga contraiu este vírus,por pouco não morreu.Graças a Deus melhorou.E eu que achava que já tinham erradicado esse H1N1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *