JORNAL DE JALES: FLÁ APROVEITA ENTREGA DE 99 MORADIAS POPULARES DA CDHU PARA PEDIR MAIS 300

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que está destacando a entrega das 99 moradias populares do Conjunto Habitacional “Honório Amadeu”. Durante a entrega, o prefeito Flá Prandi anunciou que a Prefeitura retomou a luta para conseguir a construção de mais 300 casas em um terreno que já está com toda a documentação preparada, aguardando apenas o sinal verde da CDHU. Por enquanto, o sinal continua amarelo uma vez que o presidente da CDHU, Eduardo Velucci, disse que está analisando não só o pedido de Jales, mas também de outras cidades paulistas. Durante a entrega das 99 casas, o pastor Honório Amadeu Júnior agradeceu a homenagem a seu pai, que ele destacou como exemplo de homem público. Honório Amadeu foi prefeito de Jales em dois mandatos – 1965/1969 e 1973/1977.

O jornal está destacando, também, que a operação “Farra no Tesouro 2” só está relacionada coma a primeira pelo fato de ter sido desencadeada a partir da análise de documentos apreendidos para apurar os desvios praticados pela ex-tesoureira da Prefeitura, Érica Carpi. Foi isso o que explicou o delegado da PF, Cristiano Pádua da Silva, durante entrevista coletiva sobre a operação realizada na quinta-feira, 14, que resultou na prisão temporária de duas pessoas, no cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e no afastamento de um funcionário da Prefeitura.

A atividade de cuidador de idosos, que, segundo levantamento, é a ocupação que mais cresce no Brasil; a disposição do prefeito Flá, que estaria pronto para prestar contas de sua administração às lideranças comunitárias da cidade; a homenagem que a Câmara está prestando ao professor Augusto Campaneri; as sugestões do professor Marçal Rogério Rizzo ao prefeito Flá, visando melhorar a iluminação da cidade e preservar o meio ambiente; e a apreensão, pela Polícia Rodoviária Estadual de Jales, de meia tonelada de maconha, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior comenta a repercussão do artigo da jornalista Carol Guzzo sobre direitos humanos, publicado na edição de domingo passado. O colunista destaca que o agente da PF, Wladimilson Gouvêa, foi um dos que discordaram dos argumentos da Carolzinha. Para o policial federal, seria necessário um pouco mais de realidade prática e menos teoria para formar opiniões sobre profissionais da segurança pública que arriscam suas vidas. Wladi – como era conhecido nos tempos de funcionário do Banco do Brasil – está à vontade para falar de realidade prática: há alguns anos, em um confronto com traficantes, ele foi atingido por um tiro que lhe deixou uma cicatriz no pescoço.   

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *