JORNAL DE JALES: HÁ OITO ANOS, VEREADORA PÉROLA FOI A PRIMEIRA A SUGERIR ATIVIDADE DELEGADA EM JALES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que está destacando o desempenho da Vara do Trabalho de Jales, uma das 20 melhores entre as 1.566 unidades existentes no país, segundo o Índice Nacional de Gestão de Desempenho, criado pela Corregedoria Geral da Justiça do Trabalho. O jornal apurou que, na Vara de Jales, o prazo médio entre o ajuizamento de uma ação e sua sentença é de 286 dias no rito ordinário e 102 dias no rito sumaríssimo. Em um ano, a Vara – cujo titular, atualmente, é o juiz José Antônio Gomes – pagou R$ 13,4 milhões aos reclamantes, sendo R$ 4,4 milhões através de execução e R$ 9 milhões por meio de acordos.

O jornal destacou, também, a atuação da Polícia Civil de Jales, que desmantelou uma quadrilha especializada no roubo de defensivos agrícolas e tratores na região. No total, foram presos 15 integrantes da quadrilha, sendo que os últimos quatro foram presos na terça-feira, 08, durante a operação Laranjales, deflagrada pela polícia. O delegado Sebastião Biazi, que coordenou as investigações, informou que o trabalho da polícia começou há mais de seis meses e, no total, foram quatro operações. Nesta última, além de prender quatro meliantes – dois homens e duas mulheres – os policiais cumpriram 08 mandados de busca e apreensão em São José do Rio Preto, Tanabi e Iturama.

Os falecimentos do ex-prefeito Hilário Pupim e do médico-pediatra Virgílio Ribeiro Franco, ocorridos, respectivamente na quarta-feira, 09, e na sexta-feira, 11; a captação de órgãos – o fígado e os dois rins – de um paciente que morreu na Santa Casa de Jales; o número de casos de sarampo em Jales, que, na última semana subiu para três, segundo a Vigilância Epidemiológica; a médica jalesense Maira Regina Merlotto, que representou a Unesp-Botucatu no 28º Congresso de Dermatologia, realizado em Madri; e o ótimo desempenho dos alunos do curso de Tecnologia em Gestão Empresarial da Fatec-Jales, no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que a chamada Atividade Delegada, que começou a funcionar em Jales no dia 1º de outubro, demorou nada menos que oito anos para sair do papel. Segundo o colunista, a primeira pessoa a tocar no assunto em Jales foi a ex-vereadora Pérola Cardoso, que, em 2011, sugeriu a implantação do serviço ao então prefeito Humberto Parini, com o objetivo de reforçar a segurança pública na cidade. Dois anos depois, em 2013, foi a vez do ex-vereador Luís Rosalino – outro petista – levar o assunto à então prefeita Nice Mistilides. Nice até aceitou a sugestão e enviou um projeto à Câmara, mas ficou apenas nisso.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *