JORNAL DE JALES: INDÚSTRIA DE CALCINHAS DE JALES INVESTE NA FABRICAÇÃO DE MÁSCARAS E VENDAS EXPLODEM

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, que chegou aqui em casa às cinco da madrugada, indicando que o “velho Brasa” anda com insônia. Me chamou atenção a manchete sobre a indústria de lingerie que está fabricando máscaras de proteção, mas o principal destaque, como se pode ver, é o plano de contingência que Jales está preparando para enfrentar o terrível coronavírus. Segundo a matéria, uma estrutura está sendo montada com investimentos de mais de R$ 2 milhões vindos de vários setores, conforme informações do prefeito Flá Prandi. A Santa Casa está investindo na aquisição de mais respiradores e, por recomendação do provedor Toshiro Sakashita, montou um espaço independente só para os casos de síndrome gripal.

O jornal está destacando, também, a campanha “Jales Sem Fome“, coordenada pelo Fundo Social de Solidariedade, presidido pela primeira-dama Glauciane Franco. A campanha surgiu a partir de sugestão do grupo de prevenção ao coronavírus, da Secretaria Municipal de Saúde, e já distribuiu 270 cestas para famílias que estão passando dificuldades por conta da quarentena. Segundo a matéria, a campanha – que teve o padre Valdair Rodrigues como uma das primeiras adesões – continua crescendo, com o engajamento cada vez maior de pessoas interessadas em colaborar.

A iniciativa da editora Ferjal, que montou uma linha de produção de “máscaras viseiras” que serão doadas ao pessoal da Saúde que atua no combate ao coronavírus em Jales e Fernandópolis; a iniciativa do Hospital de Amor, que está recorrendo a eventos virtuais para superar queda na arrecadação; a prisão de alguns suspeitos de integrarem quadrilha de assalto a bancos na região; a antecipação das férias escolares na rede municipal de ensino, anunciada pela Secretaria Municipal de Educação; e a vacinação de idosos no sistema “drive thru”, realizada no Comboio, que vacinou pelo menos 840 pessoas, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior traz informações sobre uma fábrica de lingerie de Jales que resolveu investir na confecção de máscaras à base de polipropileno e se deu bem. Segundo o colunista, assim que a empresa começou a produzir as peças, um dos sócios providenciou um anúncio no Mercado Livre e o resultado foi imediato, com a venda de 60 mil unidades em apenas 10 dias e mais a encomenda de outras 40 mil unidades. Deonel comenta que, para dar conta da demanda, a fábrica de calcinhas – e agora também de máscaras – foi obrigada a reforçar o time com a contratação de costureiras de Aparecida D’Oeste e Urânia, que estão trabalhando em turno estendido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *