JORNAL DE JALES: MACETÃO DIZ QUE VAI PROVAR SUA INOCÊNCIA NO CASO DOS ‘ARQUIVOS DESLIZANTES’

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete diz que o prefeito de Estrela D’Oeste, Antônio Valter dos Santos(PHS), conhecido popularmente como Antônio Escrivão, renunciou alegando falta de sintonia política. Escrivão resolveu reescrever sua curta trajetória política, surpreendendo amigos, assessores e moradores ao anunciar, na sexta-feira, 19, sua intenção de renunciar ao cargo. Em entrevista à Rádio Alvorada, Escrivão reconheceu que estava encontrando dificuldades para administrar a Prefeitura. Ele foi eleito em 2016 com 53% dos votos válidos, derrotando o então prefeito Pedro Itiro(DEM), que buscava seu quinto mandato.

Destaque, igualmente, para a prevenção contra a febre amarela em Jales. Segundo a secretária de Saúde, Maria Aparecida Moreira Martins, o problema da febre amarela está sob controle no município, onde não foi registrado nenhum caso da doença e não estão faltando doses da vacina. Ela destacou que mais de 80% da população local já foi vacinada e aconselhou os que ainda não tomaram a vacina a procurar uma das unidades de saúde da cidade. Apenas as unidades do Jardim Oiti e do Jardim América não estão vacinando.

O falecimento do meu ex-técnico de futebol e ex-goleiro do Clube Atlético Jalesense, Odassi Guerzoni; o sucesso do serviço de telemarketing da Santa Casa de Jales, que arrecadou R$ 150 mil em um ano; a visita que os alunos do curso de Agronomia da Universidade Federal do Triângulo Mineiro fizeram a Jales; as chuvas do início da semana, que causaram desabamentos na cidade e foram parar no noticiário nacional; e o compromisso assumido pelo prefeito Flá Prandi, que está prometendo apoio à Escola Livre de Teatro, são outros destaques do JJ deste domingo.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que o vereador Luiz Henrique Viotto(PP), o Macetão, foi notificado pela Justiça na última quarta-feira, 17, a respeito da Ação Civil Pública em que é acusado de danos ao erário público ao tempo em que presidiu a Câmara Municipal, em 2012. Segundo o colunista, Macetão não parece muito preocupado com o caso que o envolve com uma organização criminosa comandada pelo vereador Daniel Palmeira, de Catanduva.  Macetão disse ao jornal que não está perdendo o sono e que vai provar sua inocência. Para isso, ele contratou o advogado Carlos Eduardo Gomes Callado Moraes, o Cadinho.    

7 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *