JORNAL DE JALES: MARYNILDA CAVENAGHI ASSUME PRESIDÊNCIA DO MDB DE JALES

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cujo principal destaque é a representação criminal que o advogado Adib Abdouni, reitor da Universidade Brasil, protocolou na Superintendência da Polícia Federal, em São Paulo, contra o delegado Cristiano Pádua da Silva, da PF de Jales. A representação diz, entre outras coisas, que o delegado teria se infiltrado ilegalmente na Universidade durante as investigações que redundaram na operação Vagatomia. O jornal destaca, também, que a Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) manifestou apoio ao delegado, referendando sua atuação no curso das investigações que apontaram um suposto esquema de fraudes na Universidade.

Outra manchete de capa informa que a Prefeitura de Jales espera investir mais de R$ 26 milhões em melhorias na cidade, durante o ano de 2020. Pelo menos é isso que está previsto no orçamento municipal para o ano que vem, que deverá ser aprovado pela Câmara na sessão dessa segunda-feira, 09. Do total reservado para investimentos, cerca de R$ 10,4 milhões são recursos da própria Prefeitura, enquanto o resto virá da União (R$ 6,7 milhões), do Estado (R$ 3,8 milhões), e do financiamento obtido junto à Caixa Federal (R$ 5,5 milhões). O orçamento de 2020 prevê que as receitas e as despesas do município chegarão a R$ 175 milhões.

O desmantelamento, pela Polícia Federal, de uma organização criminosa especializada no tráfico internacional de drogas, que atuava em algumas cidades da nossa região; a homenagem que a delegada de Formosa-GO, Fernanda Lima, nascida em Jales, recebeu da Assembleia Legislativa de Goiás; o destaque obtido pela professora Paula Cristina Scarpeto Gonçalves, também nascida em Jales, por conta de projeto desenvolvido em São José dos Campos; e a emenda parlamentar de R$ 300 mil que a deputada Analice Fernandes(PSDB), outra conterrânea, está destinando para a APAE de Jales, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior está informando que a companheira Marynilda Cavenaghi Nacca decidiu assumir a presidência do diretório do MDB de Jales, substituindo o ex-vereador Jediel Zacarias, que abdicou do trono para cuidar de assuntos pessoais. O colunista ressalta que Marynilda – que estava sendo cortejada pelo PSDB – resistiu um pouco à ideia, mas acabou convencida por antigos militantes, João Missoni Filho entre eles, a assumir o comando da nau emedebista. Deonel lembra que esse não será o primeiro desafio que Marynilda enfrentará em nome do MDB. Em 2014, quando de encontro realizado no Jales Clube com as presenças de Dilma Roussef e Michel Temer, coube a ela discursar em nome do diretório local.

14 comentários

  • Porteiro de Motel

    O Jornal do tio do prefeito está prevendo um verdadeiro MILAGRE ADMINTRATIVO. A prefeitura não tem dinheiro pra nada. Está tudo atrasado,nem a Jauense eles pagam. Nem o Ipasm. Em edições recentes o mesmo jornali publicou que a margem de investimento era minina perto de zero. Como aconteceu está mudança milagrosa. Sem contar que a prefeitura não é nenhum exemplo de genialidade administrativa.

  • Ruim com ela, pior sem ela!

    Depois que os partidos e seus políticos sujaram os seus nomes, com a investigação da Lava Jato. Ninguem dá valor a presidente de partido. Ninguem sabe os nomes dos presidentes dos partidos jalesenses.
    Desculpe a minha ignorância mas eu nem sabia que o ex-vereador Jediel Zacarias era presidente do diretório. Certamente colocaram Marynilda Cavenaghi, no seu lugar , para não sair do partido.
    Só em época de eleição aparecem os presidentes de diretórios.
    Mero cargo decorativo pois quem manda mesmo são os deputados e os já conhecidos

  • Fabi

    Ética 2020 pra prefeito

  • Troca Troca

    O prefeito esqueceu que orçamento é coisa séria? O TCE já recomendou que ele reduza a quantidade de remanejamento de verbas. Há duas semanas administração fez um remanejamento de UM MILHÃO E TREZENTOS MIL para pagar a folha da Educassão. E a câmara aprovou

  • Grosopada

    Vai entender. Marinyrda trabalhando para LuiZ Henrique psdb e agora preside pmdb. Só em política mesmo. Um pé em duas canoas na busca de uma boquinha

  • Sr. Conjuntura

    Bate papo, jogo rápido.

    Marinilda vem sendo cotada pra ser vice do Luis Henrique, como o PMDB nunca fica de fora de uma garantida eleição, deve se desenhar isso com o PMDB. PSDB/PMDB deve ser chapa, afinal deputados como ITAMAR não deve ficar fora do jogo.

    Isso indica que o Flá não vai para reeleição certamente, afinal, quem é pré-candidato já estaria com o bloco na rua, ainda mais tendo a máquina mão.

    Se assim se configurar, então certamente haverá uma candidatura única novamente, o que é ruim para Jales, afinal, demonstra e fortalece uma defasagem em lideranças políticas. Seria bom o PT bocar um nome nas urnas, afinal, partido que pensa na presidência de 2022, tem que começar a sua reestruturação. A diferença para o PT e outros partidos no interior, é que os Deputados da Situação vem com um caminhão de dinheiro e estrutura para fazer campanha.

  • Eu

    Se eu fosse ela cascata fora desse povo,ela é gente boa.

    BORRACHA 2020!!!

  • Regina

    O povo nem percebe. Gastar mais 1 milhão praça. Com 300 mil arrumaria muito bem. O restante aplicar saúde e educação. Este é o nosso querido Brasil Temos que pagar impostos para cobrir os desmandos.

  • Deu No Jornal

    Olha a notícia que está na tribuna

    Prevista para começar no primeiro semestre do ano que vem, obra é contrapartida da empresa por renovação de contrato de concessão e não tem influencia da prefeitura.
    Não é emenda parlamentar indicada por deputado, nem convênio assinado entre o prefeito e o governo. A construção do pontilhão que vai substituir a passagem sobre o trilho da linha férrea na rua Maranhão, em Jales, é responsabilidade da RUMO e não tem qualquer participação da prefeitura, que apenas acompanha o projeto. A empresa detém a concessão para o uso da malha ferroviária paulista até 2028 e negocia antecipadamente, agora, a renovação do contrato até 31 de dezembro de 2058. Para que isso ocorra, terá de promover intervenções para resolver conflitos urbanos (impactos gerados sobre o trânsito ou sobre a circulação de pessoas) nas cidades que atravessa. Uma dessas intervenções é exatamente a construção do pontilhão em Jales. Mas não apenas Jales. A malha ferroviária paulista atravessa outras 70 cidades que também devem ser beneficiadas. Esses investimentos são estimados em R$ 2,6 bilhões

  • SÓ JUMENTO VOTOU EM BOZONARO.,

    O PRIMEIRO NATAL DO BOSTANARO ESTA TÃO DESANIMADO QUE NEM A DIREITISTA SABESP SE ANIMOU EM ACENDER SUAS LAMPADAS ESSE ANO.

  • Não é fácil

    Jumento e quem mama na teta governo a vida inteira prega democracia escrevendo para um grupo elite não sabe o que e uma enxada não sabe o que e trabalhar e nunca ajudou o mais necessitado aí se pudesse falar a sua história aí sim defende Cuba mas anda de carro luxo. Mas se continuar vou fazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *