JORNAL DE JALES: NO FESTIVAL DE BESTEIRAS QUE ASSOLA JALES, VEREADOR VOTA CONTRA PROJETO DE SUA PRÓPRIA AUTORIA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca a tragédia de uma família de São Francisco, que, em apenas três dias, perdeu três membros para a “gripezinha” causada pelo coronavírus. A matéria relata que, no dia 20 de agosto, faleceu a dona de casa Ana Angélica Ramos e, no dia seguinte, 21, foi a óbito a filha dela, Antonia Angélica Faez, a Toninha, servidora municipal da Prefeitura de São Francisco. No dia 23, mais luto com a morte do chefe da família, Antonio Pires da Silva. Segundo uma irmã de Antonio, tudo começou com sua sobrinha, Toninha, que foi contaminada na Prefeitura e, antes mesmo de ter algum sintoma, acabou transmitindo o vírus para os demais membros da família. 

O jornal está destacando, também, os elogios dos moradores do Jardim do Bosque e dos empresários do Distrito Industrial I às obras que estão sendo realizadas naqueles dois locais. Segundo a matéria, a gestão do prefeito Flá Prandi vem recuperando as outrora esburacadas ruas do Distrito Industrial, com serviços que estão custando mais de R$ 1,9 milhão, enquanto no Jardim do Bosque, que ficou esquecido durante mais de 20 anos, o aporte será ao final das obras, de R$ 3,3 milhões. Moradores e empresários reconhecem que, depois dos investimentos que estão sendo feitos, os dois locais nunca mais serão os mesmos.

As estimativas do IBGE divulgadas na quinta-feira, 27, que apontam um crescimento de apenas 0,19% da população de Jales nos últimos 12 meses; a visita que a pastora Flordelis, acusada de mandar matar o marido, fez a Jales em junho de 2010; os malfeitos do padre Robson, de Trindade(GO), que desviou dinheiro das doações feitas por fiéis; o casal de Jales que foi preso em Fernandópolis, por tráfico de drogas; a receita do casal Jamil Saad e Silvinha Saad, que são casados há 57 anos, para vencer a quarentena; e a festa clandestina realizada em uma chácara de Jales, que acabou na polícia, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior reverbera as dúvidas de muita gente sobre o projeto que reajusta os salários dos agentes políticos de Jales, que foi aprovado em regime de urgência pela Câmara, apesar do reajuste só valer a partir de janeiro de 2022. Deonel comparou a atuação do vereador João Zanetoni(PSD) às situações esdrúxulas narradas nas crônicas de Stanislaw Ponte Preta – pseudônimo do saudoso cronista Sérgio Porto – em seu famoso Festival de Besteiras que Assolam o País (FEBEAPÁ). Zanetoni, que foi um dos autores da propositura que reajusta os salários dos agentes políticos, votou contra o seu próprio projeto.   

3 comentários

  • Aristeu

    Faltou dizer que a dívida não incluí a Jardim do Bosque,o Distrito 03 e o bairro do Júnior Ferreira.
    Tá explicado por quê o prefeike Frá não quer ficar no cargo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    A buxa é grande,Aristeu

  • Lacra Fra

    Lástima e saber que este senhor que escreve estas bobagens e tio do prefaike Fra distorce tanto as coisas que parece que um dos poucos que votou certo contra este aumento imoral de impostos está errado! Como diria meu amigo lacra Fra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *