JORNAL DE JALES: RECUPERADO DA COVID, TOSHIRO SAKASHITA ALERTA QUE AÇÃO DO VÍRUS É PIOR DO QUE SE IMAGINA

Eis a capa do Jornal de Jales deste domingo, cuja principal manchete destaca que Jales e região regrediram para a fase laranja do Plano SP de prevenção à covid-19. A reclassificação que passa a valer a partir dessa segunda-feira, 18, mas academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas e teatros, por exemplo, que só eram permitidos a partir da fase amarela, poderão funcionar na fase laranja, desde que obedeçam algumas medidas restritivas. No entanto, o consumo em bares está totalmente proibido. Todas as atividades liberadas poderão funcionar até oito horas diárias e a capacidade de público, que era de 20%, subiu para 40%. A recomendação é que todos os estabelecimentos devem encerrar o atendimento presencial às 20 horas.

O jornal ouviu, informalmente, o empresário Carlos Toshiro Sakashita, provedor da Santa Casa de Jales, que foi contaminado no final do ano passado pela covid-19. Toshiro relembrou, em tom emocionado, os momentos difíceis vividos durante a fase aguda da doença e garantiu que a ação do vírus sobre o organismo é muito pior do que qualquer pessoa possa imaginar. Já praticamente recuperado e retomando o comando do Grupo Sakashita, Toshiro fez questão de ressaltar a competência profissional e a dedicação da médica Sandra Marcondes Corazza, que o atendeu em pleno 25 de dezembro, Dia de Natal.

As novas atribuições das secretarias municipais, implementadas pela reforma administrativa do prefeito Luís Henrique Moreira; a colação de grau da Unijales, que foi realizada via internet; o corte de verbas programado pelo governador João Dória, que irá afetar as Santas Casas e o atendimento do SUS; as primeiras ações do Fundo Social de Solidariedade, agora sob o comando da primeira-dama Alziane Rossafa; os números da covid em Jales, que registraram 122 novos infectados durante a semana; e a lei do ex-verador Macetão, sancionada pelo prefeito Luís Henrique, que irá punir quem maltratar animais, são outros assuntos do JJ.

Na coluna Fique Sabendo, o jornalista Deonel Rosa Júnior relembrou os casos de prefeitos e vices que falavam a mesma língua e também alguns casos de prefeitos e vices que não tocavam na mesma banda. Depois do oportuno intróito, o colunista comentou que, ao que tudo indica, o prefeito Luís Henrique e a vice Marynilda Cavenaghi estão conjugando o mesmo verbo neste início de governo. Segundo Deonel, acredita-se – nos bastidores políticos – que todas as nomeações do prefeito para o primeiro escalão da nova administração tiveram o conhecimento prévio ou até mesmo indicações da vice-prefeita.

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *