JUSTIÇA DE JALES CONDENA MÉDICA DE ESF A DEVOLVER SALÁRIOS

O caso da médica S.R.Q.L., aqui de Jales, foi noticiado pelo jornal A Tribuna, no final de semana passado. Agora é o SBT quem está noticiando:

A Justiça de Jales condenou uma médica e uma empresa que prestavam serviços a rede pública da cidade a devolver R$ 161 mil aos cofres públicos. O valor é metade do que a profissional recebeu entre novembro de 2015 e novembro de 2017.

Ambos também estão proibidos de firmar contratos com o poder público por 10 anos e terão que pagar multa, igualmente de R$ 161 mil. 

A ação é resultado de investigações da Polícia Federal que apurou fraudes no controle de frequência da unidade básica de saúde “Zilda Arns”, que fica no bairro Novo Mundo, onde a médica trabalhava.

As investigações começaram depois que o delegado Cristiano Pádua Silva, da Polícia Federal, precisou dos serviços da unidade e notou que a médica saía do trabalho no horário de expediente. Os dois condenados ainda podem recorrer da decisão.

Obs.: a sentença que condenou a médica a devolver parte dos salários e pagar multa é do juiz José Geraldo Nobrega Curitiba, que julgou parcialmente procedente a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual de Jales.

Além da devolução dos salários e da multa, o MP pediu também que a médica fosse condenada a pagar uma indenização por danos morais coletivos, no valor de R$ 242 mil, mas, o juiz entendeu que não era o caso. Segundo Curitiba, “não ficou comprovada a existência de profunda comoção ou abalo social nos munícipes, de modo a justificar a indenização”.

A condenação imposta pelo juiz Curitiba não foi a primeira da médica. Pelo mesmo motivo, ela já tinha sido condenada na esfera criminal pelo juiz Adílson Vagner Ballotti, à pena de dois anos de reclusão, substituída pela prestação de 700 horas de serviços à comunidade. A sentença de Ballotti já foi confirmada pelo TJ-SP, em novembro de 2018.

6 comentários

  • Eles não sabiam?

    A situação caótica que a administração publica do prefeito Flá passa com o escândalos do roubo da Érica e do seguro. Aqui também é demonstrado pela secretaria de saúde que não sabia que a médica não trabalhava. Será???? kkkkk
    Tem muitos funcionários que sabiam que ele não trabalhava, a muito tempo.
    Precisou a PF receber uma denuncia para ir até o posto de saúde para verificar.
    Acho que o juiz Curitiba determinasse que a médica trabalhasse no UPA, onde a população precisa de médicos, ao invés de determinar a multa.

  • JOSUE

    ESTOU OBSERVANDO QUE NOSSOS MAGISTRADOS,A QUAL DEVEMOS TODO RESPEITO E APREÇO,ESTÃO AGINDO COM INTEGRIDADE EM SEUS JULGAMENTOS,PARABENS PELO RESULTADO DO PROCESSO EM PAUTA,TODOS TEMOS DEVERES,OBRIGAÇÕES E DIREITOS,NINGUEM ESTÁ ACIMA DA JUSTIÇA,NEM POLITICOS,MEDICOS,ADVOGADOS,FAXINEIRO,COZINHEIRO ETC.A JUSTIÇA QDO BEM ORDENADA ELA GERA ESTABILIDADE NA SOCIEDADE,E CONFIANÇA E CREDIBILIDADE EM QUEM TEM ESSE PODER.PARABENS AO EXMO.DR CURITIBA,DEUS ABENÇOE JALES.

  • JOSUE

    AMIGO DO FLA,E CLARO PELA SUAS DECLARAÇÕES QUE VC NÃO TEM O MINIMO DE RESPEITO E EDUCAÇÃO,A BOCA FALA DO QUE O CORAÇÃO ESTÁ CHEIO,VC É UM CAMPO MINADO,VC PRECISA DE DEUS EM SUA VIDA MEDILCRE,VC DEVE CONHECER BEM OS LUGARES PARA ONDE ME MANDOU IR,FAÇA BOM PROVEITO E FIQUE FELIZ,PARA ONDE IREI NÃO TEM ESPAÇO PARA PESSOAS IQUAL A VC,DEUS LHE ABENÇOE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *