JUSTIÇA FEDERAL EM JALES REPASSA R$ 42,9 MIL PARA PROJETO SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO DE JUDÔ

A notícia está pendurada no portal da Justiça Federal:

A 1ª Vara Federal em Jales realizou repasse no valor de R$42.975,00 à Associação de Judô Jalesense, como decorrência do controle e aplicação de valores oriundos de prestação pecuniária, em cumprimento à Resolução CJF n.º 295/2014.

O valor repassado refere-se ao convênio firmado entre a 1ª Vara Federal de Jales e a Associação de Judô Jalesense, em 27/6/2016. A entidade obteve aprovação, de acordo com os termos do Edital nº02/2015, para o projeto social que desenvolve: ”Judô brincando e aprendendo”.

Do total repassado, a Associação de Judô utilizou R$ 40.975,00 para a aquisição de uma perua Kombi ano 2013, além de três geladeiras de 261 litros, que serão utilizadas para ajudar a manter o projeto social. O valor remanescente (R$ 2.000,00) foi devolvido à Subseção de Jales.

2 comentários

  • Ministro Barroso

    Ministro Barroso fala sobre o caso dos hackers: há mais fofocas do que casos relevantes.
    “Impressionante quantidade de gente que está eufórica com os hackeadores, celebrando o crime disse o Ministro em palestra em São José dos Campos (SP) nesta sexta-feira (2).
    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luis Roberto Barroso disse em palestra em São José dos Campos (SP) que é preciso estar atento a agenda brasileira, que segundo ele foi “sequestrada por criminosos”. Sobre o vazamento de supostas mensagens atribuídas a autoridades, entre elas o ministro da Justiça Sérgio Moro, Barroso criticou o que considera a “impressionante quantidade de gente que está eufórica com os hackeadores, CELEBRANDO O CRIME”.
    Para ele, dos supostos vazamentos, “HÁ MAIS FOFOCAS DO QUE CASOS RELEVANTES, apesar do esforço de se maximizar os fatos”.
    “Apesar de todo estardalhaço de que esta sendo feito, nada encobre o fato de que a PETROBRÁS foi DEVASTADA pela corrupção. Não importa o que saia nas gravações”, disse o ministro. “É difícil entender a euforia que tomou muitos setores da sociedade diante desta FOFOCA produzida por CRIMINOSOS”, concluiu.
    Ele relembrou o acordo de US$ 3 bilhões que a Petrobrás fez em Nova Iork com investidores estrangeiros. “Ou então o Judiciário americano faz parte da conspiração. Teve que fazer um ACORDO DE MAIS DE US$ 800 BILHÕES com o departamento de justiça americano, que certamente não fará parte de nenhuma conspiração”.
    “Portanto, nada encobre a CORRUPÇÃO sistêmica, estrutural e institucionalizada que HOUVE no Brasil.

  • Deltan Dinheirol

    Sobre o Barroso, que andou recepcionando o Delta e o Marreco em alegres convescotes, eis o que pensa um antipetista como você, porém bem mais inteligente:

    O jornalista e antipetista Reinaldo Azevedo escreveu neste sábado (3), em seu blog, que o ministro do Supremo Tribunal Federal Roberto Barroso cometeu ato falho na fala “que parecia traduzir certo desespero para defender Deltan Dallagnol, seu jovem conviva de coquetel doméstico em traje casual”, feita na sexta-feira (2), durante palestra em São José dos Campos (SP).
    “É difícil entender a euforia que tomou muitos setores da sociedade diante dessa fofocada produzida por criminosos”, disse Barroso sobre a “divulgação das conversas indecorosas em que juiz e procuradores tramavam contra o devido processo legal e a Constituição”, escreve Reinaldo.
    “De quais criminosos está a falar o doutor? Dos que fraudam a lei e vão para a cadeia ou do que fraudam a lei e mandam para a cadeia?”, questiona o jornalista.
    “Se Barroso se referia aos hackers que estão presos, cumpre constatar: eles não fizeram fofoca nenhuma. Clima de fofoca, muitas vezes, aí sim, era a aquele que se percebia entre os criminosos da Lava Jato, em acerto ilegal com o juiz. Estou enganado ou Sergio Moro chegou até mesmo a instruir Dallganol sobre a necessidade de tentar desmoralizar a peça da defesa de Lula? Fofoca? Só se for aquela que se produz em coquetéis domésticos que não podem ser noticiados pela imprensa, não é mesmo?”, ironiza Reinaldo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *