MAIOR FRAUDADORA DA JUSTIÇA ESPECIAL, ADVOGADA COM PRISÃO DECRETADA ATUOU EM JALES

Júlia atuou em pelo menos 14 pedidos de indenização por danos morais no Juizado Especial de Jales, contra Telefônica, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e HSBC. Ela é, também, alvo de uma ação penal por estelionato na Justiça de Jales, que ainda não foi julgada.

A advogada coleciona outros processos por estelionato em Rio Preto (51) e Santa Fé do Sul(01). Nessas duas cidades, Júlia responde ainda a vários processos por “uso de documento falso”, “patrocínio infiel” e outro por “crime contra a administração da Justiça”. Em Auriflama, ela é alvo de um inquérito policial, também por suposto estelionato.

A notícia é da TV TEM:

A Justiça decretou a prisão da advogada Júlia Voltolini Caparroz pelos crimes de uso de documento falso e patrocínio infiel. A advogada é apontada pela Justiça como a maior fraudadora no Estado contra a Justiça Especial.

O advogado de defesa de Júlia disse que ela está respondendo a todos os processos marcando presença nas audiências, mas que, nesse caso, a ação corria sob segredo e ela não foi notificada pela Justiça. O advogado também está tentando revogar o pedido de prisão.

O mandado de prisão já está na mão da Polícia Civil de Santa Fé do Sul (SP). A advogada mora no Rio Grande do Norte, e a polícia da região vai repassar a ordem para a polícia potiguar, por uma carta precatória.

Segundos os processos, a advogada usava nome de várias pessoas que nem a conheciam para entrar com ações de indenização por danos morais. As indenizações normalmente são inferiores a R$ 20 mil, por isso os processos vão para a Justiça Especial, conhecida também como “pequenas causas”.

Neste tipo de tribunal, o autor da ação normalmente não precisa comparecer às audiências, somente o advogado. Depois que ganhava as ações, a advogada não repassava o dinheiro para os verdadeiros donos. Na Polícia Civil mais de 100 inquéritos investigam a participação dela nesse esquema.

O Ministério Público de Rio Preto entrou na Justiça contra outros advogados pelo mesmo tipo de conduta, que estão respondendo formação de quadrilha, fraude processual, estelionato e apropriação indébita.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *