NOS JORNAIS: PREFEITO FLÁ PRANDI TENTA REVERTER REBAIXAMENTO DA POLÍCIA AMBIENTAL DE JALES

O rebaixamento do Pelotão da Polícia Ambiental de Jales foi assunto em pelo menos dois jornais da cidade, neste final de semana. Esta não é, no entanto, a primeira vez que tentam acabar com o Pelotão de Jales. Em maio de 2014, uma decisão do Comando Geral da Polícia Militar transferiu o nosso Pelotão para Votuporanga.

A decisão obrigou a então prefeita Nice Mistilides a mobilizar prefeitos da região que, em junho daquele ano, foram até São Paulo, onde se reuniram com o então subsecretário da Casa Cilvil, Rubens Cury (foto acima), para solicitar que a medida fosse revista. Nice alegou, na ocasião, que a extinção do Pelotão inviabilizaria a fiscalização dos 4.155 quilômetros quadrados de 23 municípios da região, cobertos pela Polícia Ambiental de Jales.

Ainda em junho de 2014, o então presidente da Câmara, Gilbertão, também esteve em São Paulo para reunião com o secretário de Meio Ambiente, Rubens Risek Júnior, a quem solicitou intervenção para que o Pelotão de Jales não fosse desativado. Gilbertão estava acompanhado pelo deputado Itamar Borges e pelo advogado Carlos Alberto Britto Neto, o Betinho, como mostra a foto ao lado.

Em setembro de 2014, veio o resultado das peregrinações a São Paulo: o governo do Estado confirmou a criação do Pelotão de Votuporanga, mas decidiu, de outro lado, manter ativo o Pelotão de Jales. Quase cinco anos depois, os políticos locais são surpreendidos com um novo ataque à Polícia Ambiental de Jales. 

Eis o que escreveu, sobre o caso, o jornalista Deonel Rosa Júnior, na coluna Fique Sabendo, do Jornal de Jales:

CORRENDO ATRÁS – O prefeito Flávio Prandi Franco (DEM) passou a semana em São Paulo. Uma de suas preocupações foi levar às esferas governamentais a insatisfação das lideranças jalesenses em face da anunciada transformação do Pelotão da Polícia Ambiental de Jales em Base.

BOLA NAS COSTAS – Como o segundo turno da eleição foi disputado em 28 de outubro e a decisão teria sido tomada em novembro do ano passado, há quem não descarte a possibilidade de que seja retaliação da equipe do então governador Márcio França (PSB) pelo apoio que as lideranças de Jales deram a João Dória (PSDB). 

No jornal A Tribuna, o assunto foi abordado na coluna Enfoque:

O fechamento da subdelegacia do Cremesp de Jales, inaugurada em setembro de 2017, não foi a única notícia negativa deste início de ano. Logo no primeiro dia útil do ano, o Diário Oficial do Estado trouxe outra preocupante novidade: o rebaixamento do Pelotão da Polícia Ambiental de Jales para uma simples base.

O detalhe é que a alteração, embora publicada depois da posse do novo governador, João Dória, teria sido arquitetada pelo governo anterior, de Márcio França. A novidade é ruim para Jales, na medida em que nossos policiais ambientais ficarão diretamente ligados à Companhia de Fernandópolis.

Se a medida for confirmada, o número de policiais ambientais – atualmente, quase quarenta – encarregados da fiscalização dos 23 municípios da região coberta pelo Pelotão de Jales, diminuirá substancialmente. E não é só isso: consta que até o número de viaturas utilizadas na fiscalização – hoje entre 08 e 10 – cairia para apenas duas, enquanto a área a ser fiscalizada nos 23 municípios continuaria a mesma.

Politicamente, a perda do Pelotão significaria uma bola nas costas dos políticos locais, principalmente se for levado em conta o fato de que beneficiaria Fernandópolis, cidade do deputado federal Fausto Pinato(PP), que apoiou o candidato derrotado – Márcio França(PSB) – nas eleições de 2018.

Por isso mesmo, o prefeito Flá Prandi(DEM), que apoiou o candidato vencedor – o governador João Dória(PSDB) – já tratou de se movimentar. Na terça-feira, 15, ele reuniu-se, em São Paulo, com o vice-governador e secretário de governo Rodrigo Garcia, seu padrinho político. Rodrigo não deu como certa a reversão da medida que transformou o Pelotão de Jales em uma Base da Polícia Ambiental, mas o prefeito voltou otimista.

8 comentários

  • Boquinha

    Polícia ambiental está indo para Sta Fe do Sul será?

  • Pescador amador

    Se fechar não vai fazer falta nenhuma,

  • Silvilene

    Na verdade e uma grande perda pra Jales a perda desta unidade quem fala que não irá fazer falta e que agride a natureza e a depreda de alguma maneira como exemplo a pesca predatória

  • Anonimo

    Nas fotos, na época (ano de 2014) estão os jalesenses Gilbertão e Betinho.
    Como o rebaixamento aconteceu de qualquer forma, mostra que os jalesenses citados não tem tanta força política.
    Muito menos os nossos deputados, o bigodudo e nossa querida deputada que aqui nasceu.

    Mas em miúdos, isso representa algo negativamente?

  • Anonimo

    Se a polícia militar ambiental for rebaixada de pelotão para base irá prejudicar e muito a segurança na área rural imagina se como pelotão e 23 municípios pra fiscalizar e 10 viaturas imagina agora com duas ou seja agora e a hora de todos os prefeitos que abrange estes 23 municipios se unirem e mostrar que tem força pois se isso acontecer eles todos serão prejudicados

  • Ze ruela

    Não interessa ambiental, receita Federal, cremesp etc etc o que interessa é em primeiro lugar desenvolvimento para Cidade geração empregos incentivos fiscais para indústrias e comércio E REAJUSTE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS “””deu para entender “”””
    ORRAAAAAA

  • Anônimo

    Meio ambiente segurança pública em área rural e desenvolvimento pessoas que pensam assim pensam pequenos pois a área ambiental traz muito recursos ao município se for bem trabalhados e conseguente mais recursos ao município e assim maia recursos pra investimento no funcionalismo público

  • Correto

    Sim interessa sim muito todas as repartições públicas pois são elas que fiscalizam e ajuda o município a fazer uma boa administração cada perda todos nós perdemos pois tenho certeza que quem crítica quem fala que não faz falta ou só pensa em aumento um dia precisou deste orgão públicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *