POLÍCIA FEDERAL VAI INSTAURAR INQUÉRITO PARA APURAR VOOS RASANTES EM JALES

A notícia é do G1:

sem_titulo_Uc20AQrA Polícia Federal vai instaurar um inquérito para apurar se houve negligência ou abuso nas manobras de um avião agrícola que sobrevoou a cidade de Jales (SP) nas últimas semanas. Os moradores estão assustados com os aviões agrícolas já que, segundo eles, muitos deles voam baixo demais, bem perto das casas e provocam o medo entre as famílias. Um flagrante foi registrado e deixou os moradores preocupados.

O autônomo Luiz Muniz da Silva tinha acabado de chegar do trabalho, quando foi surpreendido por um barulho passando por cima da casa. Era um avião agrícola, num voo rasante sobre o bairro. “Na hora que dá o rasante a hélice dá uns estalos e a gente fica preocupado, porque um carro quebra, uma moto quebra, o avião também por acontecer, a gente sempre vê notícias de avião pequeno que caiu”, afirma o autônomo.

O bairro Tangará é vizinho do aeroporto da cidade. Os moradores dizem que é comum ouvir o barulho de aeronaves pequenas pousando e decolando, mas Luiz diz que foi a primeira vez que viu este tipo de manobra, com voos rasantes perto das casas. “Ele passou da pista, fez a manobra e se der uma falha mecânica ele vai cair nas casas”, afirma Luiz.

O aeroporto de Jales é administrado pela prefeitura, mas o secretário de Comunicação deixa claro que não há fiscalização sobre quem usa o espaço público. “A administração é indireta, quem utiliza o aeroporto é uma escola. Não há um controle, a prefeitura não tem controle sobre os voos agrícolas feitas. Ele tem de comunicar a prefeitura ou a administração do aeroporto que vai utilizar, é uma prática que vem de anos”, afirma o secretário Francisco Melfi.

O piloto Reginaldo Ribeiro Vieira diz que os aviões agrícolas sobrevoam bem mais baixo que outros tipos de aeronaves. O aeroporto de Jales está dentro da cidade, o que dificulta pousos e decolagens em altura segura, mesmo assim, a recomendação é sempre manter o máximo de distância das casas para evitar acidentes. “A aviação agrícola exige mais treinamento, perícia dos pilotos, ao contrário do que muitos pensam. É preciso 400 horas de experiência para voar”, afirma o piloto.

De acordo com o comandante da escola de aviação, a escola é apenas responsável pelos aviões usados pelos alunos e não tem controle sobre o tráfego de outras aeronaves que utilizam o aeroporto.

A empresa Imagem Aviação Agrícola, que seria dona do avião flagrado pelos moradores fazendo rasantes, disse em nota que abriu uma investigação interna para analisar a gravação. A empresa disse ainda que está no mercado há 15 anos e que respeita as normas de segurança e que caso sejam confirmadas as irregularidades nas manobras com o avião da empresa, os envolvidos serão punidos.

A Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, a responsabilidade de fiscalização é do Decea, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo, órgão do comando da Aeronáutica. Eles disseram que vão apurar o caso e verificar se houve mesmo infração.

7 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *