POLÍCIAS FEDERAL, CIVIL E MILITAR REALIZAM OPERAÇÃO CONTRA TRÁFICO DE DROGAS EM JALES E OUTRAS 8 CIDADES

OPERAÇÃO PF

No site A Voz das Cidades, mais fotos, inclusive de alguns dos presos. A notícia é da assessoria de Comunicação da Polícia Federal:

Mais de 160 policiais entre federais, civis e militares participaram, na manhã desta terça‐feira (07), da deflagração de uma megaoperação denominada “CANNABIS” em combate ao tráfico de drogas em Jales e outras 8 cidades. Vinte e dois mandados de prisão e outros 34 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Estadual de Jales/SP.

Os policiais estão cumprindo os mandados nas cidades de Jales, Urânia, Fernandópolis, Mirassol, Bálsamo, Macedônia, Paranapuã, Ilha Solteira/SP e Três Lagoas/MS. Equipes do CAEP de São José do Rio Preto, canil da Polícia Militar e da Polícia Federal, além de policiais civis e da guarda municipal de Ilha Solteira também estão auxiliando no cumprimento dos mandados em alguns locais.

Durante as investigações foram apreendidos mais de duzentos e trinta quilos de drogas, armas e dinheiro. Dezenove apreensões de drogas também foram realizadas e alguns dos investigados já estavam presos.

As investigações foram conduzidas em operações distintas pela Polícia Federal e Polícia Civil de Jales/SP. Fornecedores das drogas foram identificados em Três Lagoas/MS, Ilha Solteira e Bálsamo/SP. Diversos distribuidores comercializavam as drogas em Jales e região. As investigações continuarão com o objetivo de prender outros envolvidos com o tráfico de drogas na região.

O nome da operação “CANNABIS’ foi utilizado em alusão ao principal entorpecente comercializado pelos investigados, “cannabis sativa” nome científico da maconha e também pelo fato de vários distribuidores das drogas serem egressos do sistema penal, “CANNA” (prisão), “BIS” (novamente).

Os investigados poderão responder pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas com penas que podem chegar a 25 anos de prisão. Os presos serão conduzidos à Polícia Federal e à Polícia Civil de Jales para serem ouvidos e posteriormente transferidos à cadeia local onde permanecerão à disposição da Justiça Estadual.

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *