PONTOS DE ÔNIBUS EM BAIRROS DA CIDADE CONTINUAM ABANDONADOS

060317110410

A notícia é do Douglas Zílio, editor chefe do jornal A Tribuna:

Um morador do Jardim Paraíso procurou o jornal A Tribuna na manhã da quinta-feira, dia 2 de março, para denunciar a total situação de abandono em paradas de ônibus no bairro em que reside. Porém o problema é bem maior, já que a equipe de reportagem circulou pela cidade e constatou a situação de descaso e abandono em pontos de ônibus espalhados por diversos bairros da cidade.

A grande maioria está sem cobertura, com bancos danificados, sem iluminação e sem sinalização que possa informar trajetos ou horário das linhas disponíveis. A situação, segundo A.N. provoca uma série de transtornos para quem precisa utilizar o transporte público em Jales. “Em dias de chuva não há como se proteger e às vezes, está começando a escurecer quando utilizamos a linhas das 18h10 e não há iluminação. No Jacb existem pontos de ônibus cercados pelo mato alto e sem sequer uma estrutura que nos proteja”, disse o denunciante.

O vandalismo também está por toda parte, seja através de pichações ou depredações. A situação pode ser comprovada nas paradas da Rua Professor Rubião Meira, no Conjunto Habitacional Roque Viola (Linha Paraíso), Rua Nossa Senhora das Graças, no Conjunto Habitacional Dercílio de Carvalho (Linha Paraíso), Rua Mirassol, no Jacb e Rua Vitória Brasil, no Conjunto Habitacional Dr. Pedro Nogueira (Linha Jacb).

A parada de ônibus da Avenida João Amadeu, na Catedral de Jales, em pleno centro da cidade, também apresenta problemas. “Acho que a melhor situação é a do ponto da Praça João Mariano de Freitas que é feito de alvenaria, com cobertura de laje e bancos de concreto, senão, com certeza, estaria deteriorado também”. 

O secretário de Planejamento, Niltinho Suetugo, revelou que a responsabilidade pela manutenção é da empresa que realiza o serviço de transporte público. “Está previsto em contrato a construção de dez novos abrigos em locais de paradas de ônibus. Sabemos que durante as administrações passadas foram reformados alguns pontos. Acabei de assumir a secretaria, mas já vou providenciar uma vistoria nos locais para saber a real situação desses locais e poder viabilizar os reparos junto à empresa. O que pedimos é a conscientização das pessoas, já que muitos pontos de ônibus estão nessa situação precária em função da ação de vândalos que destroem o patrimônio público”, disse o secretário.

Projeto de adoção de pontos de ônibus foi vetado por Parini

Em 2012, a ex-vereadora Aracy Murari, a Tatinha, chegou a criar um projeto, aprovado pelos vereadores, sobre a adoção de paradas de ônibus por empresas da cidade. Qualquer empresa estabelecida em Jales poderia recuperar ou construir abrigos para usuários do sistema de transporte urbano em troca da exibição de propaganda de suas marcas nesses mesmos abrigos. As próprias empresas teriam que zelar pela recuperação, conservação e manutenção do local que for adotado ou construído. O projeto foi vetado pelo então prefeito Humberto Parini (PT).

Para vetar o projeto, Parini se baseou numa das poucas prerrogativas que lhe permitem fazê-lo: a do vício de origem, pois somente o prefeito pode criar projetos que gerem despesas para o município. Parini não explicou, porém, quais seriam as despesas criadas pelo projeto para a Prefeitura.

Tatinha retrucou dizendo que o projeto foi vetado porque ela era uma vereadora de oposição. “É claro que o projeto foi vetado porque eu sou de oposição. Além de não dar despesa nenhuma para a Prefeitura, o veto expõe ao ridículo quem emitiu esse parecer. Infelizmente, é perseguição a mim e essa perseguição prejudica a população, principalmente as pessoas que usam os ônibus”, disse à época a ex-vereadora.

5 comentários

  • Cidinha

    Lembro-me com saudosismo da extinta Viação São José, nos tempos áureos em que o transporte coletivo em Jales era utilizado pela maioria da população jalesense. Hoje os tempos são outros, porém o transporte continua sendo de suma importância em nossa cidade, tendo em vista sua expansão e consequência disso, a distância do centro da cidade. É necessário olharem com bons olhos a situação dos pontos, pois os aposentados que são o maior público do serviço merecem um abrigo adequado. Pela manhã, as circulares passam lotadas, pois muitos trabalhadores ainda a utilizam. Uma pena que a administração não dá atenção para tal problema, e nem dará tão cedo

  • mil meu com mil teu

    agora estou bem mais tranquilo emjales, são apenas os pontos de ônibus que estão abandonadas. as praças e pracinhas estão todas umas maravilhas, nem da vontade de ir embora quando estou em uma delas. a fonte que ate a NICE CANDEO conseguiu fazer funcionar, esta morta novamente, do jacare, rodoviaria, arapua, final da salustiano pupin, rua goiás, etc

  • BIGODAO

    Mas os irmãos BATMAN e ROBIN não faziam parte da administração NICE/CALLADO?

    Só Vital o problema agora?

  • Puxa a cordinha, que eu quero descer

    Sem duvida, com o uso de moto, o onibus perdeu a importancia em cidades pequenas e medias.
    Como houve um aumento do poder aquisitivo, as pessoas mais necessitadas de transporte, começaram a comprar moto e assim o onibus perdeu o valor. Situação igual ao telefone publico (orelhão) onde a companhia telefonica é responsavel pela manutenção.
    Como o uso da “parada de onibus” é dos clientes da empresa de onibus, portanto ela é que deveria manter em condições de uso.

  • Lulu

    PRIVATIZA TUDOOOOO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *