POR FALTA DE PROVAS, PROMOTOR PEDE ABSOLVIÇÃO DE HOMEM ACUSADO DE TENTATIVA DE HOMICÍDIO EM JALES

O promotor de Justiça Anderson Geovam Scandelai, encarregado da acusação contra J.Q.C., acusado de tentativa de homicídio, acabou pedindo a absolvição do réu durante o julgamento ocorrido na terça-feira, 24, em sessão do Tribunal do Júri de Jales, presidido pela juíza Maria Paula Branquinho Pini.

O motivo: insuficiência de provas. O réu estava sendo acusado de efetuar um disparo com arma de fogo contra Reginaldo Santos Montoro, em uma propriedade rural na chamada “Saída do Pilão”, em novembro de 2013. O caso não teve testemunhas, restando apenas a palavra da suposta vítima contra a palavra do acusado, que negou a autoria do disparo.

Detalhe: a suposta vítima – o Reginaldo – não é exatamente um santo: ele se encontra preso por envolvimento no caso do sequestro e assassinato do jovem Marquinhos “Curió”, ocorrido em janeiro de 2015.

1 comentário

  • Thiago

    Se tivesse realmente atirado e assassinado o tal Reginaldo, Curió talvez ainda estivesse vivo e o Anderson preso.

    A sociedade teria punido um cidadão que, sem saber, acabara de salvar a vida de um inocente.

    Talvez o próprio Curió reprovasse o assassinato, sem saber que provavelmente o ato salvara sua vida…

    Enfim !, nem sempre a justiça é justa e no final das contas, não temos controle de absolutamente nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *