PREFEITURA DE JALES QUER DEVOLVER AMBULÂNCIAS COMPRADAS EM ABRIL

As ambulâncias foram compradas com recursos destinados por emenda parlamentar da deputada estadual Analice Fernandes(PSDB). A notícia é do jornal A Tribuna:

A Prefeitura de Jales publicou na última quinta-feira, 24, uma notificação para que a empresa WP dos Santos – Mercantil de Veículos Eireli, sediada em Porto Ferreira, devolva o valor de R$ 145 mil pagos pela compra de duas ambulâncias, mais uma multa de R$ 14 mil.

A polêmica envolve a aquisição de duas Unidades Móveis de Saúde, ou seja, duas ambulâncias Tipo A (simples remoção), zero quilômetro para transporte de pacientes da Secretaria Municipal de Saúde. 

Segundo a Prefeitura, o dono da empresa, Wilson Pereira dos Santos, não forneceu a nota fiscal dos veículos. “O CNPJ do faturado que consta no sistema do DETRAN, não condiz com o da concessionária, portanto o veículo deverá ser registrado primeiramente em nome do proprietário que consta faturado, ocorrendo a impossibilidade de transferência dos veículos”.

De acordo com a notificação, a vigência do contrato venceu em 16 de abril de 2020, e, mesmo assim não houve a apresentação da nota fiscal do fabricante para a concessionária, o que caracteriza a inexecução total do objeto contratual.

Por conta disso, a Prefeitura está aplicando uma multa de R$ 14.500,00, equivalente a 10% sobre o valor do contrato, a ser paga no prazo máximo de cinco dias úteis. 

Além disso, dentro do mesmo prazo, o representante da empresa deve comparecer na sede da Prefeitura de Jales para efetuar o pagamento da multa e a devolução do pagamento de R$ 145 mil e providenciar retirada das ambulâncias.

Nesse caso, a empresa fica impedida de licitar e contratar com o Município de Jales pelo prazo de até cinco anos, ou enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição. 

16 comentários

  • Eu

    Meu pai!!!
    Isso aconteceu só com Jales????

  • Ainda Bem que Está Acabando

    deveria estar bem explicado que a deputada não tem nada com isso. A culpa é da competentíssima administração do FRAco. A deputada liberou a verba e o FRAco só precisava comprar as ambulâncias. Nem isso ele consegue.

  • SEM O DEVIDO CUIDADO.

    CERTAMENTE ESTA EMPRESA NÃO É UMA “REVENDA AUTORIZADA”, NO CASO AQUI UMA REVENDA CHEVROLET, QUEM ANALISOU A DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA A EMPRESA PARTICIPAR DA “LICITAÇÃO”, COM CERTEZA NÃO TEVE ESSE CUIDADO.

  • Observador

    O povinho ruim de serviço meu Deus!!!!!!
    Deve ter o dedo do “responsável”da frota da saúde,
    aquele que desfila de ranger (erica)o dia todo.

  • Que falta de responsabilidade para com o patrimônio público,ou falta de conhecimentos burocráticos, resumindo incompetência para a função, ou medo de mais um escândalo vir a público? Aguardemos as cenas dos próximos capítulos da próxima novela mexicana: Cadê as ambulâncias?

  • Curioso

    Cardozinho. Agora fiquei intrigado! Na matéria diz “Segundo a Prefeitura, o dono da empresa, Wilson Pereira dos Santos, não forneceu a nota fiscal dos veículos”.
    A pergunta que fica é:
    É possível efetuar o pagamento sem a nota fiscal? A mesma não deve vir acompanhada da mercadoria para o devido transporte e fiscalização?

    • Pergunta difícil, amigo. Eu também fiquei curioso. Até onde eu sei, para que algo seja pago, é necessário que a nota fiscal seja apresentada para liquidação.

      • Cap Joe

        Entendo que a Prefeitura quer a Nota Fiscal do Fabricante do veículo. Acredito que a GM emitiu para WP dos Santos – Mercantil de Veículos Eireli. Talvez para fins de garantia a prefeitura a quer, mas esta é do veículo independe de quem seja o proprietário.

  • Ih! Deu errado.

    Cardosinho
    Vc quer apostar que a NF não virá e o revendedor não vai pagar os 10% de multa.
    Propinoduto, a vista?

  • 10 animo

    enquanto isso , na grande vitória brasil, duas foram compradas e estão rodando normalmente. fala serio

  • Sukodilaranja

    Mas o Detran exige a nota fiscal para o primeiro registro.

  • Estudou tanto pra passar no concurso e fez uma cagada dessas, ou tava no cargo errado, ou faltou algum detalhe pra finalizar a compra? Mais um mistério na casa da mãe Joana! Chama o Edir Macedo pra exorcizar esse santo lugar.

  • Empresa com baixo capital.

    Segundo pesquisei no Google, esta empresa foi aberta no dia 22/01/2019, com um capital social de R$ 100.000,00 MIL REAIS.
    Quando foi realizado esta compra ?.
    Para quem entende de contabilidade:
    Uma empresa com um capital tão baixo, poderia estar participando deste certame ?.
    Inclusive não diz também que a mesma é uma revenda autorizada.
    Me parece que mais esta perda sera eminente, também para quem já perdeu MAIS DE DEZ MILHÕES, o que seria mais uns R$ 200 mil reais.

  • Encardido Idoso

    Se eu fosse o tal Wilson Pereira dos Santos, fazia delação premiada e contava tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *