PRESERVANDO O VERDE

DSC00163-ed

Às vezes fico me perguntando como Jales pode ter caído 72 posições na classificação do tal “Município Verde Azul“. Como os prezados e poucos leitores deste blog sabem, nós despencamos da 97ª posição obtida em 2012, para o 169º lugar em 2013. 

Suponho que o problema deve estar no Azul desta cidade de céu sempre azulado, porque Verde é que não falta. Vejam, por exemplo, como o Verde está sendo preservado na frente do nosso Ginásio Municipal de Esportes.

Ontem, um amigo ligou para reclamar da situação da calçada da foto. Acho que ele não percebeu que a administração Nice está tentando recuperar o selo “Verde Azul” agora em 2014.  

8 comentários

  • anônimo

    já disse aqui uma vez, nossa prefeitura parece não ter mais funcionários braçais e se os têm não tem quem os chefie, que os faça trabalhar… não existe planejamento de manutenção de áreas e de prédios públicos…

  • Indignação

    Infelizmente Cardosinho, a calçada do Ginásio de Esportes não é a única descuidada do município, em todos os bairros tem abandono e perigo pelas ruas e calçadas, como por exemplo, a extenção da avenida Maria Jales, próximo ao Clube do Ypê com mato bem alto!! A cidade esta tomada pelo descuido e pela falta de “Gestão”.

  • Olho Vivo

    Nossa cidade está em completo estado de abandono, basta andar por ai e observar. O mato está tomando conta de tudo, arrebentando o pouco de asfalto que ainda resta. Só não vê quem não quer. Qualquer pessoa com o mínimo de discernimento vê que essa administração está um caos. Que desastre para Jales. Lamentável.

  • Anônimo

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk, igual diz o Boris, isso é uma vergonha.

  • Zé Carioca

    A Nice vai ficar na história de Jales como a pior prefeita, ganhou do Rato.

  • eeee

    gente, nem combustível tinha, durante um bom tempo, pra nada. Ós veículos da saúde estavam racionados, imagina o resto. O planejamento (como sempre) funcionou tanto que até gasola faltou… limpar como…?!

  • anônimo

    faltou foto das rotatórias dos trevos que vão pra rod. euclides da cunha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *