PROFESSORES ESTADUAIS DECIDEM ENTRAR EM GREVE A PARTIR DE HOJE

Aqui em Jales, no entanto, não se sabe como será a adesão à greve, mas o coordenador da subsede da Apeoesp, Josué Pacheco (foto) espera que os professores da região ajudem a engrossar o movimento. 

Tudo indica, no entanto, que eles – os professores – deverão esperar pelos resultados do primeiro dia de greve, antes de aderir ao movimento. Mas, vamos à notícia:

Em assembleia no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), cerca de 5 mil professores, conforme cálculo da Polícia Militar, decidiram na sexta-feira (19) entrar em greve. Após a decretação da greve, os professores fecharam uma das pistas da Avenida Paulista (sentido Consolação), uma das mais importantes vias da capital.

A categoria reivindica reposição salarial de 36,74%, e a Secretaria Estadual da Educação oferece reajuste de 8%. No entanto, diz o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), o aumento proposto pelo governo significa, na prática, reajuste de apenas 2%, com o desconto da inflação.

“Dois por cento de reajuste é vergonhoso para nós e para o estado mais rico da nação”, afirmou a presidente do sindicato, Maria Isabel Noronha.

Além do reajuste, os professores reivindicam o cumprimento da lei que determina que um terço da jornada de trabalho seja destinada a atividades de formação e preparação de aulas e a extensão dos direitos da categoria aos contratados temporariamente. Em nota, a Secretaria da Educação diz que cumpre a exigência de liberar os professores para as atividades extra-classe.

12 comentários

  • Rsrsrs

    vi a passeata passando pela rua da consolação, realmente eram milhares, como não repercutiu em nenhum telejornal da globo?? rsrs

  • Antonio Rodrigues Belon

    Telejornal da Globo é para quem acredita em patrões. Jales está no mundo: vale a luta dos trabalhadores. Os professores pertencem à classe trabalhadora.
    Imbecis acreditam em “professor empreendedor”.

  • Pit Bull

    Interessante, para a aprovação dos seus pró-labores, os políticos não precisam de discussões, reuniões de conciliamento/proposta, etc.., tudo é feito na calada da noite, quando os exorbitantes aumentos , são aquinhoados, de maneira sorrateira, para as profundezas dos seus insaciáveis bolsos.

    O descaso com a educação é latente, a greve da classe educadora, não tem a menor importância para o político, que a veja como àrea meio, não como fim, na formação do cidadão visando garantir a soberania, o estímulo ao desenvimento sócio-econômico, cultural e científico do nosso País.

    O descrédito, o baixo salário e a precariedade da infra-estrutura leva o professor imigrar-se para outro setor profissional, desenhando um horizonte de pouca perspectiva para a nossa educação.

    É triste e lamentável !!!….

  • Anônimo

    Incrível, lá vem a APEOESP/PTralha fazendo campanha novamenta, pro governo do Estado. Maria Izabel Noronha/PT, vai se preocupar em questionar a qualidade do ensino oferecida aos nossos filhos primeiro, inclusive as vindas do Governo Federal/PTralha, antes de fazer reinvindicação política marchista.

    • Se entendi direito o “Anônimo” é contra a valorização dos professores e quer jogar uma cortina de fumaça nos olhos de todos, desvalorizando a luta dos trabalhadores, que seriam meros marionetes nas mãos dos interesse partidários…

      Caramba… ele é mesmo brilhante e todos os demáis somos nécios…

      Talvez seja por medo de ser procurado pelos caça-talentos que ele(a) se esconda no anonimato. Arf!

  • Antonio Rodrigues Belon

    Indico a leitura de História e educação na sociedade de classes, de Jean Paulo Pereira de de Menezes, (Org.), com capítulos de Antonio Rodrigues Belon (AS LUTAS DOS PROFESSORES), Ari Raimam, Áurea de Carvalho Costa, Jean Paulo Pereira de Menezes(Organizador); Lesliane Caputi, Luciana Belíssimo de Carvalho, Maria Denise Guedes, Melina Lima Pinotti , Saulo Alvaro de Mello, Telma Ressineti, Vanessa Batista de Andrade, da Ed. Clube de Autores, São Paulo 2012.

  • LEO DO BIG PRAZA

    Simplesmente ridículo o comentário desse Anônimo

  • Fabiana de Cássia

    Concluí minha licenciatura em Geografia no ano de 1995. Nessa época, já trabalhava na Saúde, e vendo a luta dos professores, o quanto são injustiçados (meu pai mesmo teve uma triste história da qual não gosto nem de lembrar), desvalorizados e recebem um salário indigno, não quis lecionar. A professora Rosângela Bigulin ficou até triste comigo na época, porque ela dizia que eu seria uma boa professora… mas enfim, cá estou na Saúde Pública que também não é fácil. Mas ainda assim, eu acredito que os profissionais que deveriam ser os mais bem remunerados do MUNDO, são os professores. Esses heróis que suportam quase o insuportável, em tristes histórias que muitas vezes não se vê na TV, mas estão aí, para quem quiser encontrá-las em vídeos no You Tube mostrando agressões, desrespeitos e sofrimentos.
    Sonho com o dia em que nosso país terá respeito pelos professores. É uma utopia, mas quem sabe.
    Aproveito para deixar aqui minha gratidão aos professores e professoras que fazem valer a pena a Educação no Brasil: nunca desistam, perseverem, porque nenhum profissional, mesmo o maior empresário desse país, não conseguiu chegar lá sem um professor. Parabéns a vocês guerreiros desse país.

  • Anonimo

    Redes de televisão, principalmente a Globo, que apoiam descaradamente o governador, não dão nenhum destaque a mobilização dos professores.

  • CARDOSINHO COMO FICOU A GREVE DOS PROFESSORES DE JALES?

  • Ok… aguardo respostas vlw..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *