RECINTO DA FACIP TEM VÁRIAS CAIXAS D’ÁGUA SEM TAMPA

DSC01383-ed

DSC01385-ed

A presidenta Dilma Rousseff está editando uma Medida Provisória para dar mais poder aos agentes de combate ao mosquito Aedes, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A partir de agora, eles poderão entrar em imóveis, sem a autorização do proprietário e, se for o caso, poderão até requerer o auxílio da autoridade policial.

Talvez fosse conveniente que a Medida Provisória reservasse um artigo – ou um inciso que fosse – para obrigar os municípios a manter completas as suas equipes de agentes. Vejam o caso de Jales: desde a época do nosso estadista, o ex-prefeito Parini, que a equipe de combate à dengue não tem nem a metade dos agentes que deveria ter. 

Essa situação – que colabora para que o Aedes e as doenças transmitidas por ele se multipliquem – atravessou o governo Nice e continua perdurando até hoje, na administração Callado. Sem contar que a classe dos agentes de saúde é a mais mal paga da nossa Prefeitura.  

Não bastasse isso, o Poder Público ainda dá péssimos exemplos à população. Querem uma prova? Deem uma volta pelo recinto da Facip. Aquele monstrengo que é utilizado apenas uma vez por ano está completamente abandonado. Lá, é possível encontrar várias caixas d’água – como as das fotos acima – destampadas e com água.

DSC01389-pqAlém das caixas d’água, em alguns locais, completamente tomados pelo mato, é possível encontrar “coxos” como o da foto ao lado, também com água. Ou seja, o ambiente perfeito para que as fêmeas do Aedes deposite seus ovos.

É claro que a principal causa para a multiplicação do Aedes, ainda continua sendo a falta de conscientização de uma parcela da população, provavelmente a mesma parcela que vive reclamando da falta de remédios ou do mau atendimento da rede pública de saúde.

Não obstante isso, o Poder Público, pelo menos o de Jales, bem que podia fazer a sua parte. Não apenas fazendo campanhas ou convocando voluntários para realizar mutirões, mas cuidando melhor dos imóveis sob sua responsabilidade.

6 comentários

  • Situação do Recinto

    Cardosinho, quem é o responsável pelo Recinto da FACIP, Unimed ou prefeitura?
    Até quando poderá ser feito a festa lá? Poderá, um novo acordo (ou compra) com a Unimed por parte da Prefeitura para retomar o espaço que sempre foi do município?

    • A responsabilidade pela manutenção do recinto da Facip é da Prefeitura. De acordo com “Escritura de Desapropriação Amigável Mediante Dação em Pagamento”, registrada em Cartório, e a Lei Municipal 3.463, de agosto de 2008, a Unimed cedeu o imóvel por 10 anos. Portanto, a cessão vai até 2018. Nada impede a Prefeitura e a Unimed de firmarem um novo acordo, mas eu espero, sinceramente, que a Unimed decida dar uma nova destinação ao recinto.

  • JU & MENTO

    Cardosinho a Agromec distribuia agua para quem quisesse pegar la na sua fonte. Agora tem um aviso que foi proibido pela VIGILANCIA SANITARIA pegar agua la;
    Pergunta para a VIGILANCIA SANITARIA por que os bebedouros das praças também não estão lacrados pois sempre que passo por eles tem pombos e passarinhos bebendo agua direto da torneira e isso é questão de saúde publica também “doença de Pombo”

    • Anônimo

      Só nessa cidade do jeca tatu acontece essas coias água com bosta de pombo não faz mal mas da fonte da Agromec faz, vai entender pra que lado funciona a cabeça desse povo ,é jales

  • CAIO PINTO

    FALANDO EM AGUA, NOSSA FONTE DA PRAÇA SÓ FUNCIONOU PARA O FIM DE ANO? QUE VERGONHA. PEDE PRA SAIR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *