SOBRE A PRISÃO DO HOMEM QUE CHEGOU ARMADO PARA SER ATENDIDO NA UPA

Quem ouviu o noticiário policial das nossas emissoras, nesta segunda-feira, ficou sabendo que a polícia militar – em meio a uma confusão ocorrida na UPA, na noite de sábado – prendeu um homem que entrou armado naquela unidade de saúde. Do modo como a história foi contada, pode parecer que a confusão ocorreu em função de um suposto mau atendimento dos profissionais da UPA. Nada disso!

A confusão, na verdade, foi uma briga familiar, que começou na casa dos envolvidos. Um deles passou mal, por conta da discussão, e foi levado por uma ambulância do SAMU até a UPA. Logo depois, chegou outro dos envolvidos que, aparentemente, foi até a UPA para continuar a discussão iniciada em casa.

Funcionários da UPA perceberam que o primeiro homem – o que passou mal – estava armado e, para evitar algo pior, acionaram a polícia que, após revista feita por uma policial feminina, encontrou a arma com a esposa do homem que estava internado. A arma foi apreendida e o homem, depois de atendido por um médico, foi levado para a Delegacia de Polícia, onde foi dada a voz de prisão por porte ilegal de arma e estipulada uma fiança.

Segundo informações extraoficiais, os homens – que, repito, são de uma mesma família – fizeram as pazes na Delegacia. E agora, o mais surpreendente: quem teria pago a fiança para evitar a prisão daquele que chegou armado à UPA foi exatamente o outro homem envolvido na discussão.

Quanto ao atendimento da UPA, reitere-se, nenhuma reclamação.  

3 comentários

  • Observador

    Dias atrás precisei dos serviços do Samu e do upa jales, fui super muito bem atendido, tanto pela equipe do Samu, quanto a do upa, fiquei das 10 da manhã as 17 horas, nada a reclamar, só elogios, parabéns pro Upa e Samu de jales…..

  • INDIGNADO COM FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

    Hoje temos um serviço de pronto atendimento caminhando tão bem que nossa Santa Casa
    deixou a desejar.
    Setor de enfermagem é padrão de primeiro mundo.
    Administração apenas tem que cuidar melhor da recepção de tem pessoas totalmente despreparadas.
    São coisas que Conselho Municipal da Saúde tem que fazer reunião e caso não resolvido passar
    para MPF.
    Funcionários não preparados para prestarem serviços públicos.

  • Que tal se trocassem a gentileza profissional forçada por respeito e educação aos pacientes por prestação de atendimento de qualidade em relação ao tempo de espera e aos diagnósticos, consultas mais detalhadas com mais atenção dos médicos que às vezes nem consulta o paciente só fazem perguntas, assinam papéis e dispensa o paciente com uma receita básica que às vezes não resolve nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *