ALUNOS DOAM DINHEIRO DA FORMATURA PARA TRATAMENTO DE FILHO DE PROFESSORA

A notícia é do UOL:

Alunos de uma escola pública do interior de Mato Grosso se comoveram com a história de sua professora e decidiram doar para ela o dinheiro arrecadado para a formatura. O filho de Lucilene Ezequiel, 37, foi diagnosticado com artrite e pitiríase rubra pilar —doenças que causam dores e feridas na pele, respectivamente. O menino tem sete anos de idade. A docente prefere não revelar o valor doado porque “foi de coração”. A surpresa aconteceu há duas semanas.

Professora de artes visuais no colégio 14 de Fevereiro, em Pontes e Lacerda, a 443 quilômetros de Cuiabá, Lucilene conta que a surpresa aconteceu quando menos esperava. No vídeo compartilhado nas redes sociais, ela aparece corrigindo algumas atividades quando os alunos do terceiro ano do ensino médio se aproximam de sua mesa e contam sobre a doação. A professora não consegue segurar as lágrimas e se emociona. “É de coração”, diz um dos estudantes.

Para a docente, “foi uma mistura de sentimentos”. “Fiquei alegre por um gesto tão bonito em meio a tanta notícia de briga entre alunos e professores e tristeza porque eles queriam tanto a festinha de formatura com o dinheiro arrecadado ao longo do ano. Não desconfiei de nada. Levei até um susto”, lembra. O filho de Lucilene, Enzo Gomes, começou a apresentar as doenças em agosto de 2018. Ele recebeu tratamento inicial em Cuiabá, porém, a família desejou levá-lo para um especialista em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo.

Com o dinheiro, a professora diz que, na semana passada, pôde consultar com o profissional, que mudou a medicação e cremes dermatológicos, gerando significativa melhoria no quadro de Enzo. A quantia era fruto da arrecadação ao longo do ano por meio de rifas promovidas pelos estudantes.

“Meu filho nem tem mais feridas no corpo, apenas as manchas e as plaquetas com nível elevado. Ele melhorou muito depois dessa iniciativa dos meus alunos. O Enzo ficou muito alegre, falando que a pele dele havia voltado ao normal. Isso não tem preço”, frisou a professora, que é casada e também tem uma filha, de 18 anos.

Com a repercussão do ato de solidariedade em Pontes e Lacerda, a turma de 28 alunos responsável pela surpresa ganhou uma festa de formatura. Empresários da cidade se reuniram e resolveram bancar as festividades de encerramento da etapa estudantil dos adolescentes. Lucilene será a madrinha da turma. 

“Foi uma gentileza que gerou outra gentileza. Os comerciantes se juntaram e deram carne, local, bebida e outras coisas. Também foi uma surpresa ser a madrinha da turma. Eles sempre perguntavam como eu conseguia sorrir mesmo com o meu filho doente, mas jamais imaginei que seria madrinha”, disse a professora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *