ARTIGO: “A MORTE DO NETO DE LULA SOLTOU OS MONSTROS DO ÓDIO”

Do jornalista Juan Arias, no El País:

Sabíamos que no Brasil majoritariamente solidário, sensível à dor alheia e que ama seus pequenos, existiam monstros de ódio. Confesso, no entanto, que ignorava que fossem tantos e com tanta carga de sadismo. Estão sendo revelados pelos comentários sórdidos e até blasfemos, já que invocam a Deus como motivo da morte de Arthur, de sete anos, neto inocente de Lula, condenado e preso por corrupção.

Uma criança ainda não teve tempo de conhecer a que abismos de cegueira tanto a política como a ideologia podem conduzir. E cai sobre nossa consciência de adultos a infâmia de transformar em piadas baratas, em ironia e sarcasmo nas redes sociais a dor de um avô pela perda de seu neto. Lula, mesmo condenado e na cadeia, não perdeu nem sua dignidade de pessoa nem seu pedaço de história positiva que deixa escrita neste país.

Aqueles que se alegram pela perda do neto de Lula, que seria o castigo de Deus por ter apoiado como presidente governos como o da Venezuela que hoje mata de fome suas crianças, como li aqui mesmo neste jornal, estão revelando a que ponto de cegueira e insensibilidade humana pode chegar o soberbo Homo sapiens.

Essa ausência de empatia e decência chegou a infectar até políticos com responsabilidade, como o filho do presidente Bolsonaro, o deputado federal Eduardo, que tudo o que soube escrever na Internet sobre a triste morte do neto de Lula é que este deveria estar “em uma prisão comum, como um prisioneiro comum”, sem uma única palavra de piedade ou pelo menos de respeito por seu inimigo político.

Como resposta, Fernando Lula Negrão escreveu que as palavras do filho do presidente “eram emblemáticas do caráter, da criação, dos complexos, da falta de misericórdia, dos ódios, das angústias e da falta de amor que é típica dos psicopatas, dos serial killers e dos covardes…” Um duro julgamento que, tenho certeza, tem o aplauso dos milhões de brasileiros que não perderam a capacidade de mostrar solidariedade com a dor dos outros.

E também Alexandre Braga, certamente outro dos milhões de brasileiros sãos, não envenenado pela ideologia, lhe respondeu com sensatez: “Perdeu a chance (Eduardo) de ficar calado. Lula já está acabado e preso. Respeite a dor do avô, basta desse ódio malvado e vamos pensar no Brasil”.

Tentando lembrar tempos sombrios da História em que o ser humano chegou a se degradar a ponto de não só não respeitar a inocência da infância, como também fazer dela carne da infâmia, só me vieram à memória aqueles campos de concentração nazistas onde as crianças eram queimadas vivas porque “não serviam para trabalhar”. Foi em um desses campos que um de seus dirigentes dedicava para a rega das flores de seu jardim a pouca água que havia, deixando as crianças morrerem de sede.

Para aqueles que como eu dedicaram tantos artigos a louvar o positivo da alma brasileira que tanto me ensinou e confortou nos momentos em que não é difícil perder a confiança no ser humano, ler os comentários sem alma, sem empatia, de ódio ou sarcasmo e até mesmo regozijando-se pela morte de um inocente, tão somente por ódio a Lula, seria preferível não ter vivido este dia.

Estou entre os jornalistas que criticaram na época o fato de Lula, que chegou com a esperança de renovar a política, ter acabado se contaminando pelos afagos dos poderosos e pela política fácil da corrupção. Hoje, porém, diante desses caminhões de lixo que as redes estão vomitando contra ele e até contra o neto inocente que perdeu, eu me atrevo a lhe pedir perdão em nome dos milhões de brasileiros que ainda não se venderam ao ódio fácil e ainda sabem manter sua dignidade perante o mistério da morte de um inocente.

Houve quem escrevesse que depois dos campos de concentração do nazismo não seria possível continuar acreditando em Deus. E depois desses ódios e insultos imundos despejados contra Lula por causa de sua dor por ter perdido o neto, é possível continuar acreditando no Brasil?

O Brasil dos esgotos, que hoje manchou gratuitamente a alma de uma criança inocente, passará, como o nazismo passou. O outro Brasil, o anônimo, aquele que hoje ficou horrorizado vendo os monstros soltos desfilando nas redes sociais, o majoritário, acabará  dominando os monstros que hoje nos assustam para assim abrir caminho aos anjos da paz.

8 comentários

  • Indignado

    Abriram as portas do inferno, aí os capetas soltaram a franga, tomaram conta do nosso país, com Deus acima de tudo.

  • Marcia Vianna

    Adorei o artigo, faço dele minhas palavras. A boçalidade desses psicopatas já passou dos limites!

  • Brasil o país da Intolerancia, do ódio e da Discriminação. Tudo em nome de Deus.

    E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas; – Atos 10:34 acf.

  • jumento que votou em bozonaro

    O ÓDIO BOZONARIANO ESTA NA VEIA, JA VEM DE FAMILIA, PAI ENSINANDO OS FILHOS A ODIAREM.

  • Senador e os monstros do ódio

    O PT e principalmente a mídia petista está dando muita importância pelo que o senador do PSL disse.
    O senador politizou a saída de Lula da cadeia e os petistas estão exagerando na análise de suas palavras.
    Está havendo uma vitimização do Lula para o enterro de seu neto.
    Muito próprio dos petistas

  • Esse povo da esquerda é difícil.

    Como é difícil esse povo da esquerda.
    Quando do passamento do irmão do Lula, o mesmo não foi liberado para o funeral, reclamação total.
    Agora quando do passamento desta criança, o Lula foi imediatamente liberado pela justiça para o funeral.
    Dentro do Paraná foi liberado um helicóptero para o translado até o aeroporto, o governo do Paraná liberou um jato de Curitiba a São Paulo, na capital paulista foi liberado um outro helicóptero, foi montado toda uma estrutura pela polícia militar em São Paulo, liberação de policiais, liberação de veículos, quanto se dispendeu de dinheiro para toda essa operação ?, mesmo assim na UOL a família disse que foi IMPORTUNADA pela segurança, aí eu pergunto:
    Quem assassinou o nosso querido JOHN LENNON ?, foi um fã ardoroso, e isso poderia até acontecer com o Lula, porque não ?, motivo por tanta segurança, inclusive tudo isso foi previamente combinado com os advogados que solicitaram tal liberação, foi montado um plano, e aliás muito bem executado, inclusive pelo próprio Lula.
    Em um dado momento o comandante da operação solicitou ao senhor Okamoto (que aliás foi muito infeliz em sua fala, disse que aquele momento era uma festa) para que o mesmo tomasse algumas providências junto a militância, caso contrário o combinado estaria sendo desfeito, prontamente foi atendido.

  • Jalesexburaco

    Cardosinho coloca o vídeo do Paulo presidente do instituto lula,falando que o velório é uma festa…

  • Pediu muito.

    Aí você pediu os números premiados da mega sena que esta acumulada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *