ARTIGO: “COM O FUSION PRETO DO PAPAI EU POSSO ATÉ INFRINGIR AS LEIS DE TRÂNSITO!”

O advogado Alessandro Martins do Prado mandou um artigo onde expõe o seu inconformismo com a falta de educação e a incivilidade no trânsito de Jales. Abaixo, a íntegra do artigo:

COM O FUSION PRETO DO “PAPAI” EU POSSO! POSSO ATÉ INFRINGIR LEIS DE TRÂNSITO! PAPAI É RICO! EU POSSO!!!
Alessandro Martins Prado

O trânsito de Jales, e, a bem da verdade, do país como um todo, realmente é algo capaz de provocar muito estresse. Imagine a cena leitor. Estou chegando a Jales nesta quinta feira a noite, por volta de quase 23:00 horas, exausto depois de uma longa viagem. Logo na entrada da cidade, me deparo no que deveria ser o convite de boas vindas para quem chega a nossa cidade, o “Cartão Postal” de Jales, com uma bagunça generalizada de veículos e carros. É um indício sério de falta de civilidade de parte dos “cidadãos” que aqui residem.

Redobro o cuidado, passo por essa concentração de pessoas, carros e motos, sem problemas, apesar de não achar correto que veículos sejam manobrados de luz apagada, e com o som alto, apenas para citar dois exemplos de infração da Lei.Não há sequer uma viatura da polícia militar na entrada da cidade, apesar da “bagunça generalizada”.

Quando me aproximo, por meio da Avenida João Amadeu, na altura do Posto BR, me deparo com dois veículos andando em fila dupla em velocidade bem lenta. Dou vários sinais de luz alta, quero apenas passar, ultrapassar pela esquerda e chegar ao meu lar. Apesar dos vários sinais de luz alta, o motorista do veículo Ford Fusion Preto ignora meus apelos e a lei de trânsito solenemente. Certamente a conversa com o seu amigo do carro ao lado é mais importante do que o respeito à Lei e ao cidadão que quer ultrapassar pela esquerda para chegar ao seu lar.

Após vários sinais de luz, pressiono a buzina do meu veículo de forma bem firme. Somente após vários sinais de luz alta e da forte “buzinada” o motorista do veículo abre passagem. Ultrapasso o veículo e sigo meu caminho. No semáforo localizado em frente da Caiado Pneus eu paro, sinal estava vermelho. O motorista do Ford Fusion para ao meu lado, abaixa o seu vidro e pergunta se eu estava com pressa? Digo que sim. O motorista do Fusion começa a me agredir verbalmente. Inicia-se uma forte discussão entre eu e o motorista do veículo ao lado.

Logo a frente, após o semáforo, está havendo um comando da polícia militar. Acredito que perceberam que estava havendo uma forte discussão entre eu e o motorista do Fusion. Imagino que seremos parados no comando para prestar esclarecimentos. Não somos parados, tanto eu, como o motorista do Fusion passam pelo comando normalmente.

Chego em casa, inconformado escrevo esse artigo. Qual poderia ser a explicação para um garoto sair com o carro de seu pai, cometer infrações de trânsito e ainda achar ruim que alguém não gostou de suas “artes”?

A resposta, acredito, é: Eu posso, meu pai é rico, possui um veículo Ford Fusion Preto, neste país, rico não vai para cadeia nem se dirigir embriagado e matar no trânsito, eu posso cometer algumas infrações de trânsito. “Meu pai tem um Fusion Preto, ele é rico! Está acima da Lei!”.

3 comentários

  • Pardal

    Puxa,, se estava cansado,, pq não escreveu o artigo no outro dia..

  • Anônimo

    Esse parda deve estar querendo uma carona no Fusion Preto. É brincadeira, um post que mostra um problema como este não ter comentários importantes só deixa claro o descaso e que a preocupação única dos visitantes desse blog é o ataque ou a defesa da administração dessa mal administrada cidade. Isso é muito sério. Essas atitudes de jovens que não respeitam os direitos de que convive ao seu lado.
    Vamos debater o assunto, pois á imaginou uma pessoa como esse citado motorista seja eleito no futuro à prefeito de Jales? Seria a continuação da Saga do Parini: Aqui quem manda sou eu!!!!

  • Eu

    Jales é assim mesmo!! Pra quem está acostumado andar na cidade de fim de semana anoite já sabe como essa vila é cheia de crianças mimadas que se acham ricos e com todo o direito. Aqui em jales todo mundo se acha rico (e acha que rico tem todos direitos). Mulheres mercenárias, juventude corrompida pelos vicios… Fecha logo isso aqui antes que piore mais ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *