BLOGUEIRO SAUDITA PODE SER CONDENADO À MORTE APÓS COMENTÁRIO SOBRE MAOMÉ

Vida de blogueiro não é fácil. Vejam a notícia do jornal Correio do Povo, de Porto Alegre:

O jornalista e blogueiro saudita Hamza Kashgari, acusado de blasfemar no Twitter, foi preso quando chegava a Riad domingo à noite, após ser repatriado da Malásia. O jornalista fugiu de seu país depois de receber ameaças de morte devido a um tuíte sobre o profeta Maomé.

Ele vai continuar na Arábia Saudita sob “a acusação de apostasia”, disse o jornal Daily News, citando “fontes bem informadas”. Sua prisão foi relatada por outros jornais, sem mais detalhes. A Anistia Internacional e a Human Rights Watch pediram à Malásia que não o reenviassem para Riad, “onde poderá ser executado”, segundo a Anistia.

Hamza Kashgari, que trabalha para um jornal local de Jeddah, publicou em seu Twitter uma mensagem para o profeta Maomé no dia do aniversário de seu nascimento,em 4 de fevereiro. “No seu aniversário, eu não vou me curvar diante de você (…) Eu gostava de algumas coisas em você, mas odiava outras, e não entendi muitas coisas sobre você”, postou ele, no tuíte.

Seu comentário causou protestos na web, enquanto o comitê saudita de fatwas (decretos religiosos) afirmou que o tuíte constitui uma “apostasia”, crime que pode ser punido até com a morte na Arábia Saudita. Um grupo no Facebook nomeado “o povo saudita exige a execução de Hamza Kashgari” contava com mais de 21 mil integrantes nesta segunda-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *